Cidade

Estudantes da USP fazem protesto em frente ao Templo de Salomão

Quarenta alunos se mobilizam para pedir explicações sobre possível uso no campus Leste de terra retirada na construção da igreja

Por: Redação VEJASÃOPAULO.COM - Atualizado em

Cerca de 40 estudantes da USP fizeram um protesto na noite desta terça-feira (12) em frente ao Templo de Salomão, na região do Brás.

Edir Macedo e família se mudam para a cobertura do Templo de Salomão

Os manifestantes se mobilizaram após notícia de que o Ministério Público apura se parte da terra utilizada na terraplanagem do campus Leste foi extraída durante a construção do templo inaugurado pela Igreja Universal no dia 31 de julho.

Os estudantes levaram sacos com terra ao local e despejaram em frente ao Templo de Salomão. Também carregam faixas e cartazes com frases cobrando explicações sobre o caso.

Megatemplo foi construído com alvará de reforma

“Queremos chamar a atenção da sociedade para o assunto.  Não queremos ser sarcásticos com os fiéis”, afirmou uma estudante.

O ato, que foi pacífico, começou por volta das 19h10 e terminou pouco antes das 21h. Cinco carros da Polícia Militar estiveram no local.

Em nota, a assessoria de imprensa da Igreja Universal informou que "a terra retirada durante a construção do Templo de Salomão foi enviada ao aterro Lara Central de Tratamento de Resíduos Ltda., certificado pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo – CETESB.Desta forma, a Universal cumpre, rigorosamente, as legislações municipal e estadual, no que diz respeito a este assunto".

Antes de receber o campus da USP Leste, a área funcionava como aterro de lixo orgânico. A decomposição desse material pode afetar o solo.

Fonte: VEJA SÃO PAULO