Segurança

Um ano após tentativa de estupro, aluna da USP volta a ser ameaçada

Estudante de geografia conta que tem recebido bilhete, teve o e-mail invadido e não anda mais sozinha

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

USP Cidade Universitária
Ataques à estudante teria ocorrido dentro da universidade (Foto: Frame/Folhapress)

Aluna do curso de geografia da Universidade de São Paulo (USP), Luísa Cruz, de 25 anos, voltou a ser ameaçada no campus após sofrer uma tentativa de estupro dentro da área da instituição em agosto de 2014. O relato da estudante sobre a nova intimidação foi postado em seu perfil no Facebook na quarta (28) e já tem quase 20 000 curtidas e mais de 7 000 compartilhamentos.

+ Taís Araújo sofre ataques racistas em rede social

De acordo com a universitária, ao sair de uma aula, em meados de outubro, encontrou um bilhete em seu carro, no estacionamento da Faculdade História e Geografia:  "Enquanto estiver aqui, eu estarei." "Em seguida avisei as pessoas mais próximas, parei de circular sozinha dentro e fora da USP e tentei ficar o mais atenta possível a qualquer sinal estranho", relatou.

Porém, segundo Luísa, outra intimidação ocorreu. Dessa vez, uma pessoa teria invadido seu e-mail e enviado uma mensagem para a própria conta dela. "No texto, a pessoa me ameaça, alega saber fatos sobre meu cotidiano, afirma não ser a mesma pessoa que me agrediu no ano passado", revelou a estudante.

O e-mail, segundo o relato de Luísa, condenaria o envolvimento dela com mulheres que já sofreram agressões dentro da universidade e denunciaram as violências sofridas. O aviso dizia que ela deveria rever as amizades e o tempo gasto “acobertando vagabundas.”

+ Catedral da Sé é pichada após manifestação a favor do aborto

A aluna afirma ter feito uma pesquisa e descobriu que o e-mail dela foi acessado dentro do prédio da Geografia. "Ou seja, a pessoa invadiu minha conta e enviou o e-mail de dentro do ambiente acadêmico enquanto eu estava em aula, no mesmo lugar em que recebo os bilhetes e em que sofri a tentativa de estupro", desabafou Luisa, que fez um boletim de ocorrência. "Esta é mais uma tentativa de obter a necessária resposta tanto da universidade como das investigações policiais, uma vez que a possibilidade de se obter a identidade do perseguidor está justamente no fato das ameaças acontecerem no ambiente universitário através do uso da rede de informática da USP."

No ano passado, ela teria sofrido uma tentativa de estupro, quando um homem a surpreendeu no estacionamento do prédio da Geografia e tentado empurrá-la para dentro de um carro.

+ Plano diretor ameaça Vila Madalena

Em nota oficial, a reitoria da USP informou que tomou conhecimento do assunto pelas redes sociais. De acordo com a instituição, a aluna foi convidada para  participar de uma reunião com representantes da Comissão de Direitos Humanos, da Superintendência de Segurança e da Ouvidoria na quarta (4) para avaliar que tipo de medidas podem ser tomadas no caso.

A reitoria informou ainda que a Superintendência de Tecnologia da Informação está investigando a origem e autoria das mensagens eletrônicas relatadas pela aluna. "Importante destacar que, em outubro do ano passado, a Superintendência de Segurança recebeu a aluna, o pai e o namorado dela. Após o levantamento das informações, foi solicitada à estudante uma cópia do boletim de ocorrência registrado para dar encaminhamento ao caso. Depois disso, a Superintendência não foi mais procurada", informou a nota.

Fonte: VEJA SÃO PAULO