Animais

Estopinha chega à marca de 1 milhão de fãs no Facebook

A vira-lata de Alexandre Rossi, o Dr. Pet, comemorou o feito inédito para um cachorro com festa para 400 convidados

Por: Carolina Giovanelli - Atualizado em

Alexandre Rossi e Estopinha
Cynthia e Rossi, os donos da cadela: a festa teve cerveja e sorvete especiais (Foto: Ricardo D'Angelo)

A balada animal que ocupou a Casa 92, em Pinheiros, no último dia 23 estava digna de uma celebridade. O centro das atenções era a cadela Estopinha, de 5 anos, que acabara de alcançar 1 milhão de seguidores no Facebook, marca inédita para um pet brasileiro. Havia fila na porta e gente disputando convite. Não adiantou. Os 400 ingressos, 300 para humanos e 100 para cachorros, tinham se esgotado — os da turma das quatro patas duraram menos de um dia. Na comemoração, os bichos contavam com sorvete e cerveja especiais para eles, além de espaços para embelezamento e caricaturas. Um dos pontos altos do negócio foi a sessão de fotos da estrela com os convidados, limitada ao período das 19 às 20 horas. Como se esperava, os presentes, afoitos, tentavam posar ao seu lado e acariciá-la a toda hora.

+ Veja fotos da festa da vira-lata na Casa 92

Quem olha Estopinha hoje, no meio de tanta badalação, não imagina que ela poderia facilmente estar amargando uma vida anônima em um abrigo, como tantos outros vira-latas por aí. Seu destino mudou radicalmente graças ao zootecnista Alexandre Rossi, o Dr. Pet. Em 2009, o apresentador resolveu adotar um cachorro para lhe fazer companhia. Após seu divórcio, Sofia, a antiga mascote, ficara com a ex-mulher. “Procurava um animal mais velho, sem pedigree e que, de preferência, já tivesse tido algum problema de comportamento”, diz. “Meu objetivo era mostrar como esses cães normalmente rejeitados também são ótimos animais de estimação.” Eis que cruzou seu caminho a enérgica Estopinha, nessa época chamada de Rita, que havia sido devolvida após duas adoções frustradas. A cadela se mostrou ideal para acompanhar o dono em palestras, eventos e gravações televisivas. Pelo menos uma vez por mês, por exemplo, ela aparece no quadro dominical que Rossi comanda no programa de Eliana, no SBT. “Ela ficou mais famosa que eu”, afirma o “pai”. “Não tenho ciúme, mas sim um baita orgulho.”

Em 2011, Rossi e sua mulher, a administradora Cynthia Macarrão, criaram uma página no Facebook para a mascote, que já ganhava notoriedade com suas aparições midiáticas. Com fotos fofas da cadela dormindo, comendo e brincando (publicadas duas vezes por dia), ela foi crescendo, crescendo, até virar um fenômeno de audiência na rede social. Cada publicação tem, em média, 25 000 curtidas. Os admiradores da pequena de 10 quilos e 43 centímetros de altura costumam fazer loucuras por ela. Há quem mande presente pelo correio e preste homenagens. “Agora andam me perguntando por que não organizamos uma festa em cada capital”, espanta-se Cynthia. Uma das participantes da celebração da marca de 1 milhão de fãs era uma moça do Rio Grande do Sul, que passou apenas um dia na capital. Só viajou mesmo para conhecer a celebridade animal (e até chorou no grande momento). A garota trouxe também sua cadela, que, pasmem, ela adotou pois era uma gêmea de Estopinha.]

+ Os melhores cliques de Estopinha

Entre seus hobbies, destruir ursinhos de pelúcia e brincar de esconde-esconde são coisas que a vira-lata adora. Apesar de ser bagunceira, entende a hora de obedecer. Sabe deitar, rolar, mexer a boca como se estivesse latindo (mas sem barulho), usar o Skype... No currículo de aventuras, já fez passeio de tirolesa e levou as alianças no casamento de Rossi e Cynthia. Participou também de um filme, Avanti Popolo, de 2012, de Michael Wahrmann. Cada vez mais, recebe propostas para estrelar propagandas, mas os donos ainda estudam as possibilidades. Assim como a página de Estopinha, outros perfis de animais famosos que começaram como brincadeira levaram a oportunidades comerciais. As responsáveis pela página Cansei de Ser Gato, Amanda Nori e Stefany Guimarães, deixaram seus empregos na área de marketing e hoje dedicam todo o seu tempo a Chico, o gato que ficou famoso ao encarnar personalidades e objetos com fantasias e cenários. Ele tem mercadorias registradas, como ímãs e um livro, e logo deve virar bicho de pelúcia. Joy, o lulu da pomerânia da atriz Karina Bacchi, ganhou linha de roupas e acessórios. “Ele é o modelo das campanhas”, diz. “Quando era pequena, brincava de boneca, agora gosto de vestir o Joy.”

+ Estopinha sabe usar o Skype e fala inglês

Pegadas famosas

Outros quatro pets paulistanos que fazem sucesso na internet

Cachorro Joy
(Foto: Fábio Cerati)

JOY

Raça: lulu da pomerânia

Idade: 2 anos

Seguidores: 198 000, no Instagram @karinabacchi_joy

Curiosidade: sua dona é a atriz Karina Bacchi 

Gato Tony Foquinha
(Foto: Reprodução)

TONY

Raça: vira-lata

Idade: 1 ano

Seguidores: 19 000, na página do Facebook Tony, o Gato Foquinha

Curiosidade: uma deficiência de cálcio fazia com que ele se arrastasse como uma “foquinha” 

Cansei de Ser Gato
(Foto: Reprodução)

CHICO

Raça: vira-lata

Idade: 1 ano

Seguidores: 188 000, na página do Facebook Cansei de Ser Gato

Curiosidade: ficou famoso por se transformar em personalidades e objetos 

Cachorro Paçoca
(Foto: Reprodução)

PAÇOCA

Raça: lulu da pomerânia

Idade: 3 anos

Seguidores: 64 800, no Instagram @pacocadog

Curiosidade: é a mascotedo apresentador Celso Zucatelli

Fonte: VEJA SÃO PAULO