Mistérios da cidade

As esteiras não rolantes da Linha Amarela do metrô

No horário de pico, as seis passarelas que ligam duas estações nunca funcionam

Por: Mauricio Xavier [com reportagem de Flora Monteiro e Jéssika Torrezan] - Atualizado em

Mistérios da Cidade 2268 - Linha de metrô amarela
Paradas: esteiras que ligam a estação Consolação com a Paulista não funcionam nos horários de maior movimento (Foto: Mario Rodrigues)

Quem faz a transferência entre as estações Paulista (Linha 4-Amarela) e Consolação (Linha 2-Verde) do metrô já deve ter percebido: nos horários de pico, as esteiras rolantes que ligam os dois ramais não funcionam. Segundo a concessionária ViaQuatro, trata-se de uma medida de segurança, para prevenir acidentes quando há movimento intenso de passageiros.

+ Vinte e cinco bons programas nos arredores da Linha Amarela

+ Saiba como curtir o melhor da cidade sem tirar o carro da garagem

As seis passarelas, de 45 metros cada uma, movimentam-se a “vertiginosos” 2,3 quilômetros por hora (metade do ritmo normal de caminhada de um ser humano) e custaram 9 milhões de reais. Cerca de 240.000 pessoas atravessam o corredor todos os dias, 80% do volume de usuários da Estação Paulista.

Fonte: VEJA SÃO PAULO