Cidade

Estação Fradique Coutinho esquenta procura por aluguel em Pinheiros

Parada com localização estratégica, na esquina da Rua dos Pinheiros com a Rua Fradique Coutinho, deve receber 15 000 passageiros por dia

Por: Silas Colombo - Atualizado em

estação fradique coutinho
Estação deve criar um fluxo diário de 15 000 pessoas na região (Foto: Silas Colombo)

Inaugurada há menos de uma semana, a Estação Fradique Coutinho do metrô já transforma a rotina no seu entorno. Imobiliárias de Pinheiros já sentem um aumento no atendimento de interessados em alugar imóveis comerciais. "Alguns endereços que estavam vazios há tempos, agora voltaram a ser cotados por clientes", conta a corretora de imóveis Elis Regina Almarda.

A estação tem uma localização estratégica, na esquina da Rua dos Pinheiros com a Rua Fradique Coutinho, bem no centro do bairro, que possui uma das maiores concentrações gastronômicas da capital. Segundo a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), há mais de cinquenta estabelecimentos do tipo na região, sem contar as dezenas de endereços do núcleo boêmio da Vila Madalena, a somente 1 quilômetro de distância.

+ Após atrasos, Metrô abre Estação Fradique Coutinho

A estação é a 66ª da rede, que tem 75,3 quilômetros de extensão. Com 14 260 metros quadrados de área construída, ela faz parte da Linha 4-Amarela e receberá cerca de 15 000 pessoas por dia, um décimo do público da Paulista, a parada mais movimentada desse trecho. Até esta sexta (21), ela ainda funcionará em horário reduzido, das 10h às 15h, mas a promessa de grande movimento já anima os comerciante locais.

"Quando abrir de vez, espero que o pessoal que sai das avenidas Paulista e Brigadeiro Faria Lima para fazer happy hour em outros lugares, passe a vir para cá", afirma o comerciante Julio Menezes e Silva, dono de uma lanchonete em frente à estação.

+ Alckmin inaugura estação Fradique Coutinho sob protestos

O aumento da procura por imóveis e do fluxo de clientela, porém, pode criar um efeito colateral para os empresarios. "Para o ano que vem estamos esperando um aumento de, pelo menos, 10% no valor dos imóveis. Isso também vai refletir nas renovações dos contratos de quem já esta por aqui", projeta o administrador de imóveis Cláudio Ramiro, da Lelis.

Fonte: VEJA SÃO PAULO