Cidade

Estação da Luz terá nova vistoria e poderá reabrir na quarta

Equipes trabalham no fortalecimento de estruturas para que elas não desabem sobre plataformas do local que permanece interditado

Por: Veja São Paulo

Incêndio Museu da Língua Portuguesa
As chamas do lado de fora e o cenário de destruição dentro do prédio: 5 000 dos 7 700 metros quadrados destruídos (Foto: Mariana Topfstedt/Estadão Conteúdo)

A Estação da Luz passará por uma nova vistoria nesta quarta-feira (30) para que os técnicos possam determinar sua reabertura após o incêndio da última segunda (21), segundo a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

+ Fotos mostram destruição no Museu da Língua Portuguesa

No domingo (27), profissionais do Instituto de Pesquisas Tecnológicas avaliaram o local e determinaram que novas intervenções fossem feitas por ali. O objetivo é fortificar outros pontos para que não ocorram desabamentos de paredes sobre as plataformas da estação. Segundo a CPTM, após a conclusão desses novos trabalhos, que serão feitos entre segunda (28) e terça (29), novos testes poderão ser feitos com trens na quarta para avaliar as condições de reabertura da estação no mesmo dia. A Defesa Civil e o Corpo de Bombeiros suspeitam que um curto-circuito tenha iniciado o fogo

Bombeiro Museu da Língua Portuguesa
“Um dos momentos mais impressionantes foi entrar no 2º andar e avistar obras de arte destroçadas. Eram estátuas de santos, pessoas e imagens gregas. Pareciam uma massa de gente queimada. Deu uma melancolia”, diz Wagner Bertolini Junior, comandante da operação (Foto: Ricardo D'Angelo)

+ Bombeiro relata a operação no incêndio no Museu da Língua Porguesa

Até a reabertura da Luz, a companhia orienta o usuário do serviço a encerrar sua jornada um ponto antes. Para quem transita pela linha 7-rubi, os trens de Francisco Morato e Jundiaí param na estação Palmeiras-Barra Funda, no local é possível fazer a integração com a linha 3-vermelha do metrô.

Para quem se desloca pela linha 11-coral deve encerrar a viagem na estação Brás, que também é integrada à linha 3 do metrô.

Fonte: VEJA SÃO PAULO