Bichos

Esquilos viram atração no Parque do Carmo

Eles se aproximam dos visitantes e chegam até a escalar as pessoas em busca de petiscos

Por: Carolina Giovanelli

Esquilos - Parque do Carmo
Se um veterinário quiser se aproximar dos bichinhos, basta reproduzir seu som com a boca (Foto: Leo Feltran)

Eles são pequerruchos, graciosos e amigáveis (quando há comida por perto). Os caxinguelês, roedores da família dos esquilos, viraram atração no Parque do Carmo, em Itaquera. Eles adoram frutas e sementes, principalmente os “coquinhos” das palmeiras. Aproximam-se dos visitantes — chegam até a escalar as pessoas — em busca de petiscos, mas a qualquer ameaça mordem e arranham. São ligeiros para fugir, escalar o tronco das árvores e saltar entre os galhos. Vivem soltos. Se um veterinário do parque quiser se aproximar dos peludos, basta reproduzir seu som com a boca para, em seguida, vê-los aparecer prontamente.

Tigela em equilíbrio

Criado há cinquenta anos na Inglaterra, o Centro Waltham de Nutrição Animal faz estudos para a Mars, dona das marcas de ração Whiskas e Royal Canin. Pesquisador da entidade, Richard Butterwick, visitou a cidade recentemente e falou sobre alimentação pet. 

Ração
(Foto: Omar Paixão)

É aconselhável alimentar os bichos de estimação com a mesma comida que comemos? Não. Cebola, alho e chocolate são tóxicos para eles. Gatos, por exemplo, não vivem sem carne e não conseguem sentir o gosto doce.

Deve-se deixar a tigela disponível? No caso dos cães, alimente-os duas vezes ao dia. Se puderem, eles comem até cinco vezes a mais do que deveriam. Já os gatos precisam da ração à vista o tempo todo, pois consomem cerca de dez pequenas porções por dia.

Como evitar o sobrepeso? O excesso de peso atinge 40% dos pets. Não exagere nos petiscos (dê no máximo uma vez ao dia), que têm pouco valor nutricional, e pese frequentemente sua mascote.

Com vocês, o “cãoguru”

Cãoguru
O sling de sarja para cães custa R$ 78,00 e aguenta até 7 quilos (Foto: Divukgação)

A loja virtual de produtos pet Manuka acaba de ganhar um quiosque no Shopping Market Place. Entre os artigos disponíveis, há um sling de sarja para cães (foto). Batizado de bolsa “cãoguru”, custa R$ 78,00 e aguenta até 7 quilos. Estão à venda ainda itens como camisetas e peças decorativas temáticas. Criada em 2009, a marca tem nome inspirado em uma labradora de 11 anos. Manuka é garota propaganda e mascote da dona do negócio, Betina Moreira.

Fonte: VEJA SÃO PAULO