Crianças

Academias e esportes radicais para os pequenos

Endereços investem em atividades mais lúdicas como tênis de mesa, games e badminton

Por: Bruna Ribeiro - Atualizado em

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Esporte e diversão: esse é o lema das academias que atendem o público infantil. A unidade Paulista da Competition, por exemplo, inaugurou recentemente um espaço para a garotada entre 3 e 15 anos. No terceiro andar do endereço, em cerca de 800 metros quadrados estão espalhadas mesas de bilhar, de futebol de botão e de pebolim, além de games que simulam atividades físicas. Há também uma quadra poliesportiva e duas novas modalidades olímpicas: o tênis de mesa e a quadra de badminton, jogo cujo objetivo é fazer a peteca tocar na quadra adversária.

De acordo com o coordenador Marcelo Lopes, a inspiração veio do conceito americano "Learn and Play". "Ele proporciona o despertar de capacidades criativas, sociais e intelectuais pertinentes a cada faixa etária por meio de atividades lúdicas."

Além da Competition, outros espaços promovem atividades especializadas para o público infanti, como rúgbi, escalada e até parkour. Os pais só precisam tomar alguns cuidados. Segundo o coordenador clínico do Sport Check-up HCor, Nabil Ghorayeb, antes de iniciar qualquer atividade física, a criança deve passar por exame médico feito pelo pediatra e também fazer o exame eletrocardiograma.  E atenção redobrada em relação aos esportes radicais: "Elas não costumam ter muita noção do perigo". Veja outras dicas no quadro abaixo.

O médico recomenda ainda que se observe o estado emocional da garota ou garoto: é importante que a criança se identifique com o esporte escolhido. Além disso, é sempre melhor focar em atividades de grupo: "É preciso ensinar esportes coletivos, para que aprendam a sociabilizar, ganhar e perder em grupo", diz Ghorayeb.

Confira abaixo onde levar as crianças para praticar atividades físicas:

Escalada

Casa de Pedra
A Casa de Pedra tem paredes de até 14 metros de altura (Foto: Divulgação/Casa de Pedra)

Para quem gosta de escalada indoor, a Casa de Pedra é um prato cheio. Com paredes de até 14 metros de altura, o endereço conta com todos os equipamentos necessários para quem quer se aventurar nas alturas. Há a opção de contratar monitores para supervisionar a brincadeira — cada um deles cuida de até duas crianças menores de 12 anos. Segundo a gerente, Tatiana Gimenes, os pais podem acompanhar os próprios filhos a partir de 4 anos, mas aí se tornam responsáveis pela segurança das crianças.

Valor: R$ 50,00 (diária, com equipamentos)

Dias e horários: de segunda a sexta, das 16h às 23h, e sábados, domingos e feriados, das 14h às 20h

Parkour

Parkour
No Parkour, crianças treinam para ultrapassar obstáculos, com o próprio corpo (Foto: Divulgação)

Não estranhe se encontrar pessoas saltando por muros e canteiros.  A prática conhecida como parkour tem como proposta ultrapassar “barreiras” urbanas da maneira rápida, usando apenas o próprio corpo. A Academia Tracer, especializada no esporte, oferece aulas semanais. Há turmas para crianças a partir de 6 anos. A principal dica de segurança do proprietário da academia, Jean Wainer, 30 anos, é não imitar os vídeos disponíveis na internet. "As imagens mostram o resultado do treino e não o processo", diz.

Valor: R$ 190,00 a mensalidade para duas aulas por semana.

Dias e horários: as atividades para crianças de 10 a 13 anos são às segundas e quartas, das 14h30 às 15h30. Aos sábados, os alunos de 6 a 9 anos se reúnem das 9h30 às 10h30. No mesmo dia, há aula para os mais velhos, de 10 a 13 anos, das 10h30 às 11h30

Rúgbi

Rúgbi
Nas aulas de rúgbi para crianças, são trabalhados valores como respeito, disciplina e trabalho em grupo (Foto: Divulgação)

Quem não conhece muito rúgbi, logo pensa em um esporte agressivo. Mas no clube Spac, especializado na modalidade, os valores passados para as crianças nas aulas são justamente o oposto. "Para os mais novinhos, a partir de 5 anos, fazemos brincadeiras lúdicas, falando da importância do respeito, disciplina e trabalho em grupo", disse Fábio Gimenez Galdieri, 38, secretário geral do clube. "A partir dos 10 anos, começamos com as atividades de contato, mas moderadamente". O uso de equipamentos, como as boqueiras, também é um meio de garantir a segurança dos participantes.

Valor: R$ 30,00 por mês para crianças de 5 a 14 anos

Dias e horários: os treinos da garotada ocorrem aos sábados, das 10h às 12h30

tabela-esportes
(Foto: Renata Gomes de Aguiar/Arte)

Fonte: VEJA SÃO PAULO