Mistérios da Cidade

Esculturas pela cidade sofrem com depredações

Uma delas é a peça em bronze Índio Pescador, na Praça Oswaldo Cruz, que teve a lança furtada; veja outros casos de vandalismo

Por: Mauricio Xavier [Com reportagem de Alessandra Freitas]

índio pescador escultura
Índio Pescador, de Francisco Leopoldo e Silva: uma das esculturas vandalizadas (Foto: Lucas Lima)

Principal atração da Praça Oswaldo Cruz, no Paraíso, a escultura de bronze do Índio Pescador, de Francisco Leopoldo e Silva, inaugurada em 1928, enfrenta anos de degradação. A peça não conta mais com seu elemento de destaque, a longa lança empunhada pelo personagem-título, furtada por vândalos.

Ela está longe de ser o único monumento da capital a sofrer com problema semelhante (veja alguns exemplos abaixo). Hoje, existem 22 em situação considerada “prioritária” no Adote uma Obra Artística, da prefeitura. O programa busca o apoio da iniciativa privada para projetos de conservação e restauro de estátuas e monumentos da capital. Em troca, a empresa ganha sua marca no espaço.

+ Espaço na cidade tem sete máquinas tipográficas originais

Alfredo Maia

Autor: Amadeo Zani

Local: Praça Júlio Prestes, no centro

Faltam: trecho em relevo e placa de bronze

Amizade Sírio-Libanesa

Autor: Ettore Ximenes

Local: Praça Ragueb Chohf, no centro

Faltam: braços, cabeças e pés das figuras

Monumento à Independência

Autor: Ettore Ximenes

Local: Parque da Independência

Falta: a espada de dom Pedro I

O Ferroviário

Autor: Ricardo Cipicchia

Local: Praça René Barreto, na Lapa

Faltam: placas de identifcação de bronze

Fonte: VEJA SÃO PAULO