Teatro

Escolas preparam atores para musicais

Alunos aprendem a cantar e dançar em cursos específicos

Por: Juliana Guarany - Atualizado em

Depois de passar sete anos em Nova York, a atriz Ana Taglianetti foi chamada, em 2002, para viver o papel da senhora Potts no musical A Bela e a Fera, que iria estrear em São Paulo. Percebeu que, apesar de a cena musical da cidade já fervilhar, faltavam escolas capazes de formar artistas para essas montagens. Dois anos mais tarde, ela convidou alguns dos – ainda poucos – profissionais da área e montou a Casa de Artes OperAria, na Mooca, voltada exclusivamente para teatro musical e ópera, atualmente com 100 alunos. Pelo menos mais duas escolas reúnem outros 160 aspirantes a estrelas da Broadway paulistana.

O Senac montou seu curso livre no ano passado e formou quatro turmas de vinte alunos cada uma. Com ênfase na preparação de atores para a TV, a escola Wolf Maya, no Shopping Frei Caneca, abriu seu curso de teatro musical em 2003, com vinte alunos. Atualmente são 120. "Hoje em dia, quem se interessa por musicais pode pensar no gênero como um emprego, algo impensável há algum tempo", afirma a coreógrafa Fernanda Chamma, professora da Wolf Maya. Esse mercado ficou aquecido principalmente após a inauguração, em 2001, do Teatro Abril, que se tornou o principal palco do gênero no país. A primeira montagem ali apresentada, Les Misérables, atraiu 350 000 espectadores em pouco mais de um ano. O Fantasma da Ópera, em cartaz desde abril de 2005, foi até agora visto por mais de 750 000 pessoas.

Miss Saigon, com estréia prevista para o segundo semestre de 2007, será a próxima atração do teatro. Mais de 2 500 atores se inscreveram para os testes e 380 foram selecionados para a primeira fase. Não basta saber cantar e dançar. A CIE Brasil, responsável pela produção, procura tipos como "homem com aparência asiática de traços fortes" e "mulher com aparência americana de cerca de 20 anos". Aluno da OperAria, o contratenor Conrado Carmen é um dos que entraram na disputa por uma vaga. "A gente se prepara, mas o resultado é imprevisível", diz. "Eu soube de muita gente boa que foi rejeitada."

Casa de Artes OperAria. Rua Sacramento Blake, 88, Mooca, Tel. 6618-5540;

Escola de Atores Wolf Maya. Shopping Frei Caneca, 3º piso, Tel. 3472-2444;

Senac São Paulo. Rua Scipião, 67, Lapa, Tel. 3866-2500.

Fonte: VEJA SÃO PAULO