Cultura

Escola São Paulo faz sucesso na capital com cursos de apelo pop

Aulas são ministradas por Gloria Coelho, Lina Chamie e outros nomes de peso

Por: Carolina Giovanelli - Atualizado em

Escola São Paulo - Cultura - 2277
A biblioteca: matrículas recusadas por causa da alta demanda (Foto: Fernando Moraes)

Na última semana, a Escola São Paulo, instalada na Zona Oeste, contou com uma intensa agenda de cursos. Marcaram presença na lista de docentes os estilistas Lorenzo Merlino, Gloria Coelho e Chiara Gadaleta, a cineasta Lina Chamie e a holandesa Li Edelkoort, caçadora de tendências. Os nomes de peso no comando das salas de aula podem surpreender aqueles que não conhecem o espaço, mas, para os alunos, assistir a palestras desses e de outros profissionais do quilate do fotógrafo Bob Wolfenson e do arquiteto Paulo Mendes da Rocha já virou rotina. Criado em 2006, o negócio ganhou notoriedade como uma espécie de versão descolada da Casa do Saber, que abriu as portas em 2004 no Itaim e fez sucesso atraindo alunos da capital para palestras e oficinas nas áreas de filosofia, história e arte (hoje, tem uma filial no Shopping Cidade Jardim).

Localizada na Rua Augusta, a três quadras da Rua Oscar Freire, a Escola São Paulo atrai frequentadores com módulos recheados de exercícios práticos, sem o sisudo formato acadêmico. No ano passado, ela ofereceu aos mais de 5.000 inscritos 294 cursos focados em áreas como moda, cinema e literatura. Com apenas quatro salas de aula, a estrutura passou a não dar conta da alta demanda e matrículas precisaram ser recusadas. Em breve, o problema deve ser resolvido: está prevista para o começo de agosto a abertura de uma nova filial, de 450 metros quadrados, do outro lado da rua, a um quarteirão de distância da matriz. “Devemos dobrar nossos números”, calcula a proprietária Isabella Prata.

+ Astronete está de volta à Rua Augusta

Escola São Paulo - Isabella Prata - Cultura - 2277
A proprietária Isabella Prata: antenada com os assuntos em voga (Foto: Fernando Moraes)

Antes de abrir o negócio, ela atuava no papel de produtora cultural. Conseguiu trazer ao país exposições de artistas como Mario Testino e Cindy Sherman. Sua gorda agenda a ajudou bastante no sucesso da empreitada. A turma de estudantes intensifica as redes de contatos com bate-papos na biblioteca e no café, incrementado por uma mesa de pebolim, enquanto são servidos doces da tradicional confeitaria Dulca. Há desde cursos express, com apenas um dia de duração, até outros de um ano e meio. Um “cartão fidelidade”, com custo de 5.000 reais, dá direito a entrada ilimitada em todos os módulos oferecidos, ao longo de seis meses. “Aposto todas as minhas fichas em uma educação multidisciplinar”, diz Isabella. “Nosso público não vem aqui para passar o tempo, mas para pensar em como atuar melhor no mercado, nos mais variados setores.”

+ Símbolos da cidade, confeitaria Dulca comemora sessenta anos

Escola São Paulo - Cultura - 2277
Nova sede, também na Rua Augusta: alunos em dobro (Foto: Fernando Moraes)

Insatisfeita com a profissão de psicóloga, Luciane Gerodetti, de 38 anos, buscou diversificar suas atividades. Procurou a Escola São Paulo em março para um intensivo sobre "cool hunting", estratégia para descobrir tendências de consumo de antemão. “Eu me apaixonei pelo assunto, larguei o trabalho e mergulhei em um curso técnico”, conta. Ela promete lançar em breve uma marca de roupas com uma ex-analista do mercado de ações que conheceu por lá. “O pessoal se interessa por essa proposta de aprender como as coisas funcionam na prática”, afirma a estilista Gloria Coelho, que dá aulas sobre sua experiência na montagem de uma coleção. Recentemente, ela trocou o papel de professora pelo de aluna, aventurando-se em uma palestra sobre queijos e vinhos. Também integram o rol de estudantes conhecidos a cantora Mallu Magalhães e a empresária Luiza Setubal.

+ 3 perguntas para Mallu Magalhães

Gloria Coelho - Escola São Paulo -2277
A estilista Gloria Coelho: lista de professores estrelados (Foto: Rafael Cusato)

A boa receptividade de seus serviços fez com que a escola crescesse 75% no ano passado em relação a 2010. Isabella, assim, vislumbrou novas modalidades de ensino. No mês que vem, lança uma programação de cursos on-line. Por preços entre 20 e 50 reais a palestra, o internauta poderá conferir vídeos do apresentador Marcelo Tas, do artista plástico Vik Muniz e de outros. Uma incubadora de negócios dos estudantes também figura na lista de planos para um futuro próximo.

Do cinema ao grafite

Alguns dos cursos programados para os próximos meses

Produção e gestão criativa de eventos

Professor: Cacá Ribeiro. Terça (10) a sábado (14), doze horas e meia de aulas, 999 reais

Grafite: arte urbana

Professor: Apolo Torres. Com exercícios práticos na rua. Terça (10) a sábado (14), 24 horas de aulas, 870 reais

Intensivo em moda

Nove professores, entre eles Lorenzo Merlino, Gloria Coelho e Pedro Lourenço. 6 de agosto de 2012 a 6 de dezembro de 2013, 810 horas de aulas, 26.100 reais

Linguagem cinematográfica

Professora: Lina Chamie. 11 de outubro a 8 de novembro, quinze horas de aulas, 600 reais

Relato de fotógrafo

Palestra de três horas com Claudia Jaguaribe. 17 de outubro, 120 reais

Fonte: VEJA SÃO PAULO