Entrevista

“O mundo inteiro vai prestar atenção no Santos”, diz Ganso

Ainda afastado devido a uma lesão na coxa, jogador comenta fase atual do alvinegro praiano

Por: Manuela Nogueira - Atualizado em

O Ganso do cachê de ouro 2170
Paulo Henrique Ganso: jogador do Santos (Foto: Fernando Moraes)

Na quarta (15), o Santos encara a primeira partida que decidirá a Libertadores. Um dos ídolos do alvinegro praiano, o meia Paulo Henrique Ganso não deverá jogar — está afastado do time titular devido a uma lesão muscular na coxa direita. Ganso, que pelas previsões mais otimistas será escalado para o segundo confronto contra o Peñarol (no dia 22), falou a VEJA SÃO PAULO sobre o bom momento da equipe.

VEJA SÃO PAULO — Qual é a expectativa para a decisão contra o Peñarol? Paulo Henrique Ganso — O sentimento é o melhor possível. Teremos um grande jogo no Uruguai, e esperamos fechar com chave de ouro no Pacaembu. Estamos bastante concentrados, porque esperamos por esse momento há muito tempo.

VEJA SÃO PAULO — Quais são as chances de vocês? Paulo Henrique Ganso — Somos hoje um dos melhores times do Brasil. Sabemos que o Peñarol vem com tudo, mas confiamos no nosso futebol e na união do grupo. Se vencermos a Libertadores, nossa visibilidade aumentará muito. O mundo inteiro vai prestar atenção no Santos.

VEJA SÃO PAULO — Uma das características do Peixe é revelar bons atletas. Foi assim com Diego e Robinho, e agora com você e Neymar. Como é defender o clube no qual foi formado? Paulo Henrique Ganso — Tem um gosto muito especial. É muito bom fazer parte de uma geração nova e jogar ao lado do Neymar. Vencer a Libertadores seria a concretização desse momento e a realização de um sonho.

VEJA SÃO PAULO — Você se machucou no início de maio e não disputou as partidas das quartas nem da semi-final. Como foi acompanhar de longe essa trajetória? Paulo Henrique Ganso — Foi difícil por causa do nervosismo. Dentro de campo não tem ansiedade. Em compensação, quem está na torcida sempre sofre. O lado bom é que quero voltar com tudo.

VEJA SÃO PAULO — A diretoria do clube optou por levar o jogo para o Pacaembu e não para o Morumbi. Gosta de jogar nesse estádio? Paulo Henrique Ganso — Sempre prefiro a Vila Belmiro, que é a nossa casa. Mas também gosto muito do Pacaembu. Tenho boas recordações porque fomos campeões paulistas ali, no ano passado.

VEJA SÃO PAULO — Muito se fala sobre seus planos de ir para a Europa. Vencer a Libertadores faria você continuar aqui? Paulo Henrique Ganso — Se vencermos o Peñarol, teremos a chance de jogar contra o Barcelona pela disputa de um título mundial. Todo jogador quer isso. Talvez seja, sim, um motivo para eu ficar no Santos.

Fonte: VEJA SÃO PAULO