Tragédia em Osasco

Pai e filho que caíram de janela são enterrados em cemitérios diferentes

A mãe do menino de seis anos segue internada na UTI de hospital em Osasco; ela afirma que apanhou antes do marido pular do 13º andar com o menino no colo

Por: Redação VEJASAOPAULO.COM - Atualizado em

Ivan Pesquero de Mattos, de seis anos, foi enterrado no Cemitério Alpha Campus, em Jandira, na manhã desta quarta-feira (19). O menino morreu após cair abraçado com o pai, o professor Edemir de Mattos, de 52 anos, do 13º andar do prédio onde moravam, na Avenida Manoel Pedro Pimentel, em Osasco. A tragédia aconteceu na noite de segunda-feira (17). Já Mattos foi sepultado no Cemitério da Saudade, em Campinas, também nesta quarta.

+ Química tentou se matar após marido pular da janela com filho, diz zelador

A mãe de Ivan, a química Célia Regina Pesquero, de 49 anos, não foi ao enterro do filho, já que segue internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Antônio Giglio, no centro de Osasco. Segundo amigas, ela está com o rosto muito inchado, mas já conseguiu abrir os olhos. 

+ “Foi a coisa mais horrível que vi na minha vida”, diz vizinho

Célia afirmou à polícia que foi agredida antes de Mattos pular com o filho no colo da janela do apartamento onde moravam. Em depoimento, ela contou ainda ser casada há aproximadamente sete anos e que sempre apanhava do marido. Segundo contou, ele ameaçava desaparecer com Ivan, dizendo que iria se suicidar e matar o garoto.

+ Professor que pulou de prédio com o filho no colo já ameaçava se matar

Testemunhas falaram à polícia que a criança chorava muito e pedia para o pai parar. "Ouvíamos o garoto falar ‘Papai, não, não me joga’”, disse Carla Cristina Santander dos Anjos, de 41 anos.

Antes da tragédia, o comerciante Adriano de Souza Castro, de 31 anos, tentou convencer Mattos a não se jogar do apartamento. “Foi muito forte tudo o que aconteceu. Foi a coisa mais horrível que vi na minha vida.”

Fonte: VEJA SÃO PAULO