Consumo

Empresas não reconhecem falhas em lotes de extrato de tomate

As marcas Elefante, Predilecta, Aro, Amorita e Pomarola foram reprovadas pela Anvisa nesta quinta-feira (28)

Por: Mariana Zylberkan - Atualizado em

Extrato de tomate elefante
Marca Elefante está entre as tiveram falhas apontadas pela Anvisa (Foto: Divulgação)

As fabricantes de quatro marcas de extrato de tomate não reconhecem a falha - presença de pelo de rato - apontada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para determinar a suspensão da comercialização de lotes do produto nesta quinta-feira (28).  A proibição atingiu itens da Elefante, Predilecta, Aro, Amorita e Pomarola. 

A Cargill Alimentos, responsável pelas marcas Elefante e Pomarola, afirmou que seus produtos não oferecem risco à saúde. "A empresa reitera o compromisso com o cumprimento de todas as normas de segurança dos alimentos e padrões de higiene."

+ Residentes da Santa Casa ameaçam parar

A Predilecta, que também fabrica a marca Amorita, disse em nota que recolheu todos os lotes, mas não reconhece os defeitos apontados pela Anvisa. "O alto grau de automação de todas as linhas de fabricação, associada ao emprego de práticas de fabricação certificadas internacionalmente, eliminam as possibilidades de contaminação dos produtos", afirmou. 

Em nota, o Makro, que comercializa a marca própria Aro, produzido pela Predilecta, disse que o processo de seleção de fornecedores passa por um rígido controle de qualidade, com análises periódicas realizadas por empresas terceiras renomadas no mercado e contratadas diretamente pelo Makro.

A Anvisa tirou os produtos de comercialização "por conterem pelo de roedor em limite acima do tolerado pela legislação". Em 2014, a agência publicou resolução que tornou mais rígida a tolerância em relação a matérias estranhas encontradas em alimentos e bebidas. 

 

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO