Estilo

Eles enxergam longe

E não é só por causa dos óculos de grau, ponto em comum entre os cinco personagens abaixo. Do estilista que cria vestidos de 30 000 euros ao engenheiro que revolucionou a relojoaria mundial, eles mostram com quantos graus se faz uma história de sucesso

Por: Flavia Galembeck - Atualizado em

Alber_Elbaz
Alber Elbaz (Foto: Dan Burn-Forti)

Alber Elbaz, 51 anos, diretor de criação e estilista da Lanvin

Mais antiga marca de moda em funcionamento ininterrupto, a Lanvin não vivia seu melhor momento até a chegada de Alber Elbaz ao departamento de criação. Ele também não vinha exatamente de uma história de sucesso — havia sido demitido do estilo da Yves Saint Laurent. Surgiu, assim, um casamento feliz que acaba de completar uma década: sob a batuta dele, as consumidoras voltaram, e o faturamento se multiplicou. A chave para entender o sucesso de Elbaz passa por suas peças de design clássico mas próximas do cotidiano da mulher. E por seu talento para subverter com elegância alguns códigosdo que é considerado bom gosto: saltaram de suas passarelas ideias como usar sapatilhas no lugar de salto alto para compromissos formais, e isso mesmo nos closets de quem não tem 30 000 euros para comprar um de seus vestidos de gala. Os óculos retangulares com armação de tartaruga são sua marca registrada. Era questão de tempo, portanto, até que lançasse uma coleção, o que fez em fevereiro deste ano, com uma linha que custa entre 190 e 450 euros. Nascido em Casablanca, no Marrocos, ele morou em Tel-Aviv (onde serviu no Exército israelense), mudou-se em 1984 para Nova York e hoje vive em Paris. Sua estreia na Lanvin foi tensa: teve de sair correndo atrás dos executivos da loja Barneys com um buquê de flores, implorando para que dessem uma chance à coleção, que não estava pronta nem precificada. Em abril deste ano, a Barneys o homenageou com uma estátua douradade 8 metros segurando uma flor na vitrine da loja em Nova York. Uma imagem que simboliza o tamanho de seu sucesso.

Maison Bonnet. Armações de casco de tartaruga, sob encomenda, cerca de 40 000 euros. Passagedes Deux Pavillons, 5, Rue des Petits-Champs, Paris, tel. 33 (1) 4296-4635, maisonbonnet.com

danuza leão
Danuza Leão (Foto: Fernando Frazão)
Danuza Leão, 79 anos, escritora

Danuza Leão é uma mulher tão à frente de seu tempo que já faz uns cinquenta anos que é considerada moderna, e a palavra sempre ganha uma acepção nova. Hoje, por exemplo, consiste em ser completamente livre de grifes e deslumbres. As malas Louis Vuitton dela são encapadas com tecido marrom para esconder o monograma que 90% das pessoas fazem questão de exibir. Desfez-se de seus modelitos de marca e define seu estilo como “Steve Jobs”: calça, camiseta e tênis, como à semelhança do básico criador da Apple. Os óculos — ela tem 2,9 graus de miopia no olho direito e 1,5 no esquerdo — vêm de uma farmácia parisiense e custaram 20 euros, fora as lentes. Danuza é a mulher que muitas mulheres gostariam de ser quando crescerem: tudo o que fez, fez muito bem, e na hora que quis. Foi das primeiras modelos brasileiras a ter carreira internacional, promoter de casas noturnas estreladas, dona de butique, jurada de programa de auditório, colunista social e autora de livros que praticamente já nascem best-sellers — o mais recente deles, É Tudo Tão Simples, bateu a marca de 140 000 exemplares. Ela credita o sucesso em todas essas atividades a uma intuição aguçada — e não é isso que faz as pessoas ser lançadoras de tendência, afinal?

Giorgio Armani. Armaçõesde acetato, semelhantes às que ela compra numa farmácia em Paris, a partir de R$ 930,00. tel. 0800 7012097

Guilherme Paulus
Guilherme Paulus (Foto: Germano Lüders)
Guilherme Paulus, 62 anos, presidente do conselho de administração da CVC e do grupo GJP

O turismo interno era ainda incipiente na década de 70 quando Guilherme Paulus abriu a CVC e apostou no desejo (e na necessidade) do brasileiro de se locomover entre os estados. Primeiro com excursões rodoviárias que levavam operários do ABC paulista para rever a família no Nordeste, anos mais tarde com fretamento de aeronaves, até se estabelecer como a maior empresa do ramo na América Latina. Ele mesmo, no entanto, não tira férias há dois anos. Não que lhe faltem recursos. Dono de um Learjet 60 para sete passageiros, seu patrimônio é avaliado em 2,3 bilhões de reais devido à venda de 63,6% da companhia ao grupo Carlyle, em 2009, e da empresa de aviação Webjet, comprada pela Gol no ano passado. Longe de pensar em se aposentar — mantém a cadeira no conselho de administração da CVC —, ele vem se dedicando ao grupo GJP Hotéis & Resorts, que reúne dez endereços. Enquanto acerta os últimos detalhes do retrofit de um hotel sexagenário na Bahia (com inauguração prevista para setembro), estuda criar uma nova bandeira de hotelaria de luxo. A ascensão social no país, a julgar pela toada dos últimos anos, indica que não vai faltar demanda. Se assim for, a afiada visão de negócios do empresário, que tem 0,75 grau de astigmatismo no olho direito e 1 grau no esquerdo (além de 2 graus de presbiopia em ambos) se mostrará, mais uma vez, certeira.

Prada. Armação comprada em Roma, em 2011. Modelo semelhante da mesma marca, o PR_08PV, R$ 750,00, Luxottica, tel. (11) 4003-8225

ivan zurita
Ivan Zurita (Foto: Mario Rodrigues)
Ivan Zurita, 59 anos, presidente do conselho consultivo da Nestlé e fundador da AgroZurita

Os primeiros óculos para 1,5 grau de miopia no olho esquerdo e 2 graus no direito foram comprados quando Ivan Zurita tinha 23 anos e estava em seu primeiro trabalho na Nestlé: validar operações de cartões de crédito. Imagine a quantidade de letras miúdas que ele não precisou encarar por longas horas diárias. O defeitinho oftalmológico do executivo estacionou em proporção inversa à de sua ascensão na multinacional suíça. Em seus onze anos na presidência (é agora presidente do conselho consultivo), quadruplicou o faturamento no Brasil e comprou sua principal concorrente, a Garoto. Nos negócios pessoais, sua empresa, a AgroZurita, destaca-se pela genética de ponta, graças ao cruzamento da raça simental, que trouxe da África do Sul, como nelore, o tipo predominante de gado no Brasil. O resultado? Vacas leiteiras com produção acima da média e bois que fornecem carne mais macia e cujo sêmen é vendido em leilões milionários a celebridades como Roberto Carlos, Hebe Camargo e Ana Maria Braga. Em 2011, o faturamento da AgroZurita foi de 126 milhões de reais.

Montblanc. Modelo 338, com armação e hastes de metal, R$ 1 372,00, tel. 0800 7715557

Jack-Heuer
Jack Heuer (Foto: Joel von Allmen)
Jack Heuer, 80 anos, presidente honorário da TAG Heuer

Bisneto do fundador da grifede relógios TAG Heuer, Jack Heuer ingressou na empresa da família logo após se formar em engenharia, aos 26 anos. Liderou inovações tecnológicas como o desenvolvimentodo primeiro cronógrafo automático, instrumento de alta precisão que mede o tempo em milésimos de segundo. Não à toa, sua relojoaria se tornou a responsável, na década de 70, por cronometrar carros da Ferrari na Fórmula 1 — aliás, patrocinar a competição foi outradas suas apostas para catapultar a grife suíça internacionalmente. Em 1982, deixou a empresa quando ela foi comprada pelo grupo Piaget (que a revendeu ao grupo TAG, três anos depois). Ingressou então na IDT, um grupo de bens eletrônicos em Hong Kong, onde trabalhou até se aposentar, em 2000. Nessa época, havia acabado de se tornar presidente honorário da TAG Heuer, adquirida pelo grupo LVMH em 1999. Sua função é manter a inovação tecnológica seguindo os princípios que ele mesmo ajudou a estabelecer.

Tag Heuer. Modelo L-Type, de titânio e fibra de carbono, R$ 9 750,00, que desembarca nos egundo semestre no Brasil, na loja da grife no Shopping Cidade Jardim

Fonte: VEJA SÃO PAULO