Política

Eduardo Cunha é recebido com protesto e 'beijaço' na Assembleia

Manifestantes contra homofobia foram chamados de intolerantes pelo presidente da Câmara dos Deputados

Por: Estadão Conteúdo

Eduardo Cunha
Manifestantes fazem protesto contra Eduardo Cunha na Assembleia Legislativa (Foto: Jorge Araújo/Folhapress)

Em visita à Assembleia Legislativa de São Paulo nesta sexta-feira (27), o presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) foi vaiado por grupos anti-homofobia. Os manifestantes, que acabaram sendo retirados da galeria do plenário por seguranças da Alesp, também realizaram um "beijaço".

As vaias interromperam diversas vezes a fala de Cunha, que chamou os manifestantes de "intolerantes" e cobrou deles "educação". Ouviu de volta gritos de "machista" e "homofóbico".

+ Casos de dengue sobem 214% em SP; cidade terá tendas para doentes

A galeria do plenário da Assembleia Legislativa de São Paulo foi esvaziada a pedido do presidente da Casa, Fernando Capez (PSDB), depois de um pedido do deputado Luiz Alfredo Machado (PSDB), que se disse constrangido com o comportamento dos manifestantes.

"É constrangedor para esta Casa receber o presidente da Câmara e não dar a ele o direito de falar".

Enquanto era vaiado pelos manifestantes, Cunha foi, mais de uma vez, aplaudido por parlamentares. Manifestantes levaram cartazes chamando Cunha de "corrupto", "homofóbico", além de se beijarem em protesto na galeria.

Fonte: VEJA SÃO PAULO