Exposições

'Ecológica', no MAM, reúne 22 obras sobre o tema

Felipe Chaimovich, curador da mostra, selecionou fotografias, vídeos e instalações para discutir a sociedade de consumo e o esgotamento de recursos naturais

Por: Jonas Lopes - Atualizado em

Ecológica MAM Marcelo Cidade
A instalação 'Transestatal', de Marcelo Cidade: entulho e cachaça (Foto: Luigi Stavale)

Um dos temas-chave para entender este início de século, a preservação do meio ambiente ganha uma abordagem pertinente na mostra Ecológica, em cartaz no Museu de Arte Moderna. Por meio de 22 obras escolhidas pelo curador Felipe Chaimovich, entre instalações de grande porte, vídeos e fotografias, a coletiva se inspira em conceitos do intelectual austríaco André Gorz (1923-2007). Para Gorz, a sociedade de consumo e o ritmo desenfreado dos meios de produção são diretamente responsáveis pela poluição e pelo grave esgotamento de recursos naturais do planeta. Não poderia haver local mais apropriado para a discussão que o MAM, cujas paredes envidraçadas revelam o onipresente verde do Parque do Ibirapuera.

A seleção de Chaimovich trata o assunto com ironia e cinismo. Marcelo Cidade apresenta a instalação ‘Transestatal’, uma montanha de entulho pela qual verte cachaça, como em uma fonte. Nelson Leirner mostra, em ‘Armazém’, um balcão de quinquilharias, crítica à tendência de acumularmos objetos supérfluos. Símbolo da sociedade de consumo, o McDonald’s tem a maquete de uma loja sua inundada em um vídeo do coletivo dinamarquês Superflex, enquanto Rodrigo Matheus exibe fotografias de praias em cavaletes — ao sentar-se numa cadeira para observá-las, o espectador é refrescado por um ventilador, uma brincadeira sobre o mercado turístico. Um jardineiro fará expediente para cuidar de alguns trabalhos com plantas reais durante o período expositivo.

AVALIAÇÃO ✪✪✪

Fonte: VEJA SÃO PAULO