É Tudo Verdade

Sexta (12)

Confira a programação de hoje

Por: Redação VEJA SÃO PAULO - Atualizado em

Salma - É tudo Verdade 2013
'Salma': Cine Livraria Cultura, 15h (Foto: Divulgação)

Centro Cultural Banco do Brasil

14h - A RAINHA DE VERSAILLES (The Queen of Versailles, 100 min., Estados Unidos, digital, 2012. Dir.: Lauren Greenfield) De origem humilde, David e Jackie Siegel construíram uma trajetória de sucesso e riqueza que os tornou um verdadeiro paradigma do “sonho americano”, cujo ápice foi o projeto de construir a maior residência dos EUA. Na crise mundial de 2008, a própria mansão torna-se o símbolo de uma drástica virada. O Estado das Coisas.

16h - ENTUSIASMO (Enthusiasm, 67 min., URSS, 35mm, 1930. Dir.: Dziga Vertov) Em seu primeiro documentário sonoro, Vertov realiza um ensaio sobre o poder do cine-olho e do ouvido-rádio a partir do empenho dos trabalhadores ucranianos para cumprir o Plano Quinquenal. Retrospectiva Internacional: Dziga Vertov. Outra sessão: domingo (14), Cinemateca Brasileira - Sala BNDES, 16h.

18h - TRÊS CANÇÕES SOBRE LÊNIN (Three Song of Lenin, 62 min., URSS, 35mm, 1934. Dir.: Dziga Vertov) Em seu primeiro documentário sonoro, Vertov realiza um ensaio sobre o poder do cine-olho e do ouvido-rádio a partir do empenho dos trabalhadores ucranianos para cumprir o Plano Quinquenal. Retrospectiva Internacional: Dziga Vertov. Outra sessão: domingo (14), Cinemateca Brasileira - Sala BNDES, 18h.

20h - CANÇÃO DE NINAR (Lullaby, 57 min., URSS, 35mm, 1937. Dir.: Dziga Vertov) Para celebrar o vigésimo aniversário da Revolução, Vertov celebra a mulher e as mães da URSS a partir de uma estrutura pontuada por canções de ninar com reflexos folclores compostas originalmente para o filme. Retrospectiva Internacional: Dziga Vertov. Outra sessão: domingo (14), Cinemateca Brasileira - Sala BNDES, 20h.

 

Cine Livraria Cultura

13h - O UNIVERSO GRACILIANO (Graciliano Universe, 84 min., Brasil, digital, 2013. Dir.: Sylvio Back) Um retrato do escritor alagoano Graciliano Ramos (1892-1953), sessenta anos após a morte do autor de clássicos como “Vidas Secas” e “Memórias do Cárcere”. Entrevistas, materiais de arquivo, fotos e filmes articulam-se para sintetizar sua original trajetória dentro e fora da literatura. Competição Brasileira de Longas e Médias-Metragens.

15h - SALMA (idem, 90 min., Inglaterra, digital, 2013. Dir.: Kim Longinotto) Salma pertence à uma comunidade muçulmana do sul da Índia. Criada por uma tia até os 5 anos, ela retorna à casa dos pais onde, ao atingir a puberdade, é trancada num quartinho. Dada em casamento, ela apenas muda de dono. Seu caminho de libertação será a poesia, que acabará chegando às mãos de um editor, tornando-a famosa. Competição Internacional de Longas e Médias-Metragens.

17h - UMA VEZ ENTREI NUM JARDIM (Once I entered a garden, 97 min., França, Israel, Suíça, digital, 2012. Dir.: Avi Mograbi) Reencontrando seu antigo professor de árabe, o palestino Ali Al Azhari, o diretor israelense Avi Mograbi cria o cenário ideal para uma discussão sobre como os persistentes conflitos no Oriente Médio vêm afetando as vidas de todos os moradores da região, independente de qual seja a sua cultura ou religião. Competição Internacional de Longas e Médias-Metragens.

19h - OS GUARDIÕES (The Gatekeepers, 95 min., Israel, França, Alemanha, Bélgica, digital, 2012. Dir.: Dror Moreh) Seis ex-dirigentes da Shin Bet, agência de Inteligência e contraterrorismo de Israel, saem do anonimato, discutindo abertamente sua atuação clandestina envolvendo tortura, execuções e bombardeios. Estes homens, na meia-idade, acrescentam surpreendentes reflexões em torno da segurança e da paz com os palestinos. Finalista do Oscar 2013. Programas Especiais.

21h - EM BUSCA DE IARA (Looking for Iara, 91 min., Brasil, 35mm, 2013. Dir.: Flavio Frederico) A vida breve de Iara Iavelberg (1944-1971), que deixou para trás uma confortável vida familiar, optou por engajar-se na luta armada contra a ditadura militar e tornou-se companheira do ex-capitão do exército Carlos Lamarca. Competição Brasileira de Longas e Médias-Metragens. Outra sessão: sábado (13), Cine Livraria Cultura, 13h.

23h - LOUCEIRAS (Ceramists, 54 min., Brasil, digital, 2013. Dir.: Tatiana Toffoli) Na aldeia Kariri-Xocó, às margens do rio São Francisco, um grupo de mulheres empenha-se na produção dos potes e panelas de barro que, há várias gerações, vem sendo um dos principais meio de sustento da comunidade indígena. Mas a tradição corre o risco de desaparecer, devido à mudança de comportamento entre as novas gerações. O Estado das Coisas. Outra sessão: domingo (14), Centro Cultural Banco do Brasil, 16h.

23h59 - CIDADE DO SOM (Sound City, 108 min., Estados Unidos, 2013. Dir.: Dave Grohl) Baterista da banda Nirvana e atual líder do Foo Fighters, Dave Grohl revisita a história e os principais personagens de um endereço mítico – Sound City, o estúdio da Cabrito Road, em Los Angeles, por onde passou boa parte da história da música pop contemporânea e de onde saíram álbuns cultuados, como Nevermind, do Nirvana, e Unchained, de Johnny Cash. Programas Especiais. 

Cinemateca Brasileira - Sala BNDES

16h - O ALMANAQUE (The Calendar, 73 min., Uruguai, digital, 2012. Dir.: José Pedro Charlo) Em setembro de 1972, o jovem estudante Jorge Tiscornia torna-se mais um dos milhares de presos políticos do presídio ironicamente chamado Libertad, perto de Montevidéu. Pelos próximos 12 anos, ele viverá ali, numa cela de 2 m x 3,50 m, na qual os detentos passam 23 horas diárias, severamente vigiados. Apesar do risco, ele consegue manter um registro secreto destes 4.646 dias. Foco Latino-Americano.

18h - VERTOV EM CURTAS: DA CINE-SEMANA (KINO-NEDÊLIA, 1918/1919) AO CINE-VERDADE (KINO-PRAVDA, 1922/1925) - Vertov in Shorts: From Cinema-Week (Kino-Nedêlia, 1918/1919) to Cinema-Truth (Kino-Pravda, 1922/1925), 75 min., URSS, 35mm. A formação do cineasta em quatro títulos, de seu começo em cinejornais à maior elaboração em seus curtas-verdade, geralmente temáticos. Retrospectiva Internacional: Dziga Vertov.

20h - CINE-OLHO (Kino-Eye, 57 min., URSS, 35mm, 1924. Dir.: Dziga Vertov) Os dois polos da vida russa pós-1917: a “Nova” Rússia e a “Velha” Rússia, registrados “sem atores, sem diretores, sem cenários”. Retrospectiva Internacional: Dziga Vertov.

Fonte: VEJA SÃO PAULO