Consumo

Dudu Bertholini garimpa peças de roupa nas lojas do Metrô

O estilista paulistano faz um passeio por estações da cidade e compõe looks completos por até R$ 160,00

Por: Carolina Romanini e Inara Chayamiti - Atualizado em

Somente em 2012, o Metrô de São Paulo faturou R$ 18,5 milhões* por meio de lojas e quiosques instalados em suas estações.

Mirando esse público que consome no subterrâneo, na sua grande maioria mulheres universitárias entre 18 e 24 anos, o conceito e visual das lojas passa por uma transformação, buscando equiparar-se às estações de capitais como Paris e Londres, que abrigam pontos de venda de marcas consagradas.

A linha amarela, concessionada pela empresa Via Quatro, com seis estações em operação, já segue essa tendência. Na estação de Pinheiros, por exemplo, é possível comprar em quiosques como o da Havaianas e Água de Cheiro.

Usuário assíduo do Metrô paulistano, o estilista Dudu Bertholini, da marca Neon, admite que faz uso do subterrâneo para estudar o comportamento das pessoas e pesquisar para suas coleções.

A convite de Veja São Paulo, Dudu passou uma tarde passeando pelo Metrô e avaliando algumas das lojas nas estações Pinheiros, Faria Lima e São Bento. Para ele, não foi  difícl encontrar peças de vestuário e bijuterias para compor looks casuais e para o escritório. O melhor de tudo: as produções completas custaram até R$ 160,00.

Veja por onde ele passou:

Metrô-dudu-bertholini
(Foto: Renata Aguiar)

Estação Pinheiros - Quiosque Havaianas

Estação Faria Lima - Loja Linda de Viver

Estação São Bento - Loja A Especialista

Dudu Bertholini
Dudu Bertholini faz um passeio de compras pelo metrô (Foto: Inara Chayamiti)

 

* Número do Metrô, que não inclui o faturamento das lojas localizadas nas estações da Linha Amarela, concessionada pela Via Quatro.

Fonte: VEJA SÃO PAULO