Martini, Dry Martini

"007 - Operação Skyfall": onde apreciar o drinque preferido do espião

Bares como Anexo SB e SubAstor fazem mais do que a boa e velha combinação de gim com vermute

Por: Bruno Machado - Atualizado em

James Bond bebendo dry martini
Pierce Brosnan no papel de James Bond, bebendo dry martini: marca registrada do personagem (Foto: Divulgação)

Para os fãs de James Bond, boas notícias:o espião retorna hoje (26) aos cinemas em Operação Skyfall, no qual enfrenta um vilão interpretado por Javier Bardem. O diretor Sam Mendes prometeu fazer um filme com mais cenas dramáticas do que de ação, em vistas de concorrer a um Oscar.

+ Top 5: as melhores músicas de Bond, James Bond

+ Qual James Bond faz o seu estilo?

Para comemorar a estreia do novo longa, que tal esticar o programa com um bom martini? A seguir, confira uma lista de endereços para tomar dry martini, o drinque preferido de 007.

Dry Martini do Bar Anexo SB
O coquetel do Bar Anexo SB: mais de 40 variedades (Foto: Mario Rodrigues)

Anexo SB

O barman Kascão apresenta mais de quarenta versões do drinque preferido do espião criado por Ian Fleming, mas é outro personagem do cinema que o inspirou a criar um dos destaques da nova carta de bebidas do bar. O dom corleone (R$ 27) leva pepino macerado com casca de laranja, xarope de açúcar e uma dose de gim na taça própria para martini.

Dry Martini do Baretto
A versão dirty do luxuso Baretto: pode levar conserva de azeitona na receita (Foto: Divulgação)

Baretto

O discreto e luxuoso bar do Hotel Fasano oferece por R$ 36,00 a clássica receita de gim e vermute e azeitona. Pelo mesmo preço, o cliente pode optar pelo dirty martini, que leva um pouco da conserva da fruto.

MyNY

O barman Spencer Jr. faz duas versões do drinque: a tradicional leva uma parte de vermute para quatro de gim, além de bitter de laranja. É servido em taça estilo vintage. Já a versão contemporânea é incrementada com spray de vermute. Para que a bebida seja servida na temperatura ideal - baixíssima no caso do dry martini -,  a taça fica na geladeira até o momento de ser servida. Ambos custam R$ 31,00.

Dry Martini do Dry Bar & Club
O charmoso martini do Dry: mais de 150 taças por noite (Foto: Divulgação)

Dry Bar & Club

Numa única noite, o chef de bar Eduardo Alves chega a fazer 150 taças de dry martini. A casa conta com uma carta com uma dezena de tipos do coquetel, dos quais se destacam o refrescante apple mint, que leva purê de maçã verde, vodca e um toque de menta. Custa vinte e cinco reais. Já a versão clássica é finalizada com algumas gotas de suco de limão-siciliano e é servida em dois tamanhos: 230 mililitros (R$ 30) e 16 mililitros (R$ 21).

Breakfast Martini do Taberna 474
O breakfast martini do Taberna 474: clara de ovo em neve na receita (Foto: Divulgação)

Taberna 474

A casa oferece um drinque chamado breakfast martini (R$ 25), que leva chá preto na receita ao invés do vermute. Incrementam a fórmula um mix de cítricos e clara de ovo em neve.

Astor

A receita do drinque no badalado bar da Vila Madalena leva gim com vermute branco seco. A taça sai por R$ 23,00.

Taberna 474
Adamant martini, do SubAstor:  receita leva vodca, gim, vermute e bitter de laranja (Foto: Divulgação)

SubAstor

Três lances de escada abaixo do Astor, o bar com cara de speakeasy — como eram chamados os estabelecimentos clandestinos durante a Lei Seca norte-americana (1920-1933) — oferece, entre as opções da nova carta de drinques, o adamant martini, cuja receita leva vodca mesclada com gim, vermute extra-seco e bitter de laranja. Custa R$ 25,00.

At Nine Cocktail Bar

O bar tem cerca de 40 variedades do drinque. Entre eles, o vésper martini (R$ 28), o preferido de James Bond. A receita leva partes iguais de gim e vodca.

Fonte: VEJA SÃO PAULO