BARES

Os drinques com nomes mais curiosos da cidade

Peça pelo título e se divirta com essa seleção de coquetéis servidos em bares paulistanos

Por: Saulo Yassuda - Atualizado em

Sóshots & Petiscos
O drinque boa noite cinderela: 50 mililitros (Foto: Fernando Moraes)

Às vezes, a gente quer bebericar algo diferente, mas fica com uma preguiiiiiça de consultar drinque por drinque no cardápio do bar e analisar a lista de ingredientes... Muitas casas, entretanto, têm a estratégia de batizar suas misturas com nomes engraçadinhos, que "pegam" o cliente pela curiosidade.

+ Comida di Buteco reúne 49 bares de São Paulo

Alguns desses nomes podem assustar, é verdade (você tomaria um boa noite cinderela, disponível no Sóshots & Petiscos?). Mas, no fim, tudo isso deixa o programa ainda mais divertido.

Conheça, abaixo, onze coquetéis de títulos chamativos disponíveis em bares de São Paulo.

Sóshots & Petiscos
O drinque boa noite cinderela: 50 mililitros (Foto: Fernando Moraes)

Boa noite cinderela: não, não precisa ter medo de beber este drinque de nome perigoso, servido no Sóshots & Petiscos, no Itaim Bibi, por R$ 12,00. Nada de drogas ilícitas ou medicamentos controlados na receita, composta de vodca, licor de framboesa, absinto, licor de ervas e bitter. São apenas 50 mililitros e você só vai "apagar" se exagerar na dose.

A nega é minha e ninguém tasca: esta caipirinha campeã de pedidos do Pirajá, com unidades em Pinheiros e no MorumbiShopping, é tão boa que dá vontade de "tascar" do companheiro de mesa quando a sua acaba. Equilibrada, a mistura de limões taiti e siciliano mais rapadura custa R$ 22,00.

Gringo afogado: na sugestão (R$ 26,00) da Cervejaria Nacional, em Pinheiros, o tal do estrangeiro é uma bebida mais forte (tequila, uísque ou steinhäger), que é mergulhado no copo de chope. Simples assim.

Pirajá - MorumbiShopping
A caipinha chamada de a nega é minha e ninguém tasca, do Pirajá (Foto: Lucas Lima)

Bafo da onça: é criação do mixologista Marco de La Roche, consultor do Barouche, nova casa da moda no centro. Não precisa se preocupar com o aroma dela. A mistura de vodca, Aperol, chá mate e tangerina (R$ 25,00) é muito mais perfumada que o nome indica.

Dinamite pangalática: o título do coquetel do Gibi Cultura Geek, na Vila Mariana, faz referência a uma bebida citada na série de livros O Guia do Mochileiro das Galáxias, de Douglas Adams. Na versão da casa, vem na forma de um mix de uísque, gim, curaçau blue, licor de menta, suco de laranja e água com gás (R$ 28,00).

Ceará vs. 007: é um dos melhores coquetéis do SubAstor, endereço que venceu a categoria carta de drinques na mais recente edição VEJA COMER & BEBER. A mistura leva gim, vodca com infusão de castanha-de-caju, vermute seco e uma borrifada de perfume feito do suco da fruta. Custa R$ 29,00.

Barê
O drinque mate mussum, do Barê (Foto: Mario Rodrigues)

Mate mussum: o saudoso personagem dos Trapalhões é homenageado na refrescante pedida (R$ 26,00) do Barê, no Jardim Paulista. Cachaça com erva-mate, maracujá, limão e gengibre compõem a receita. Na descrição do cardápio, uma frase engraçadinha: "toma um mé que o mundo vai girarzis".

Fod*nha na praia: de nome impublicável, a docinha junção de vodca, tubaína de laranja, licor de pêssego e grenadine sai a R$ 23,90. É uma das estrelas do cardápio do Tubaína, no Baixo Augusta.

Minas nerds: pensado para as moças que frequentam o Gibi Cultura Geek, bar da Vila Mariana dedicado ao mundo nerd, o drinque é docinho e leva vodca, licor de laranja, limão-siciliano, xarope de framboesa, refrigerante cítrico e hortelã. Custa R$ 21,00.

Rê Bordosa: a personagem do cartunista Angeli teria sido criada nas mesas do bar Riviera, na Avenida Paulista. Não à toa, na carta do endereço figura uma sugestão que leva o mesmo nome, composta de cachaça, jurubebe e aperitivo de alcachofra (R$ 23,00).

Orgasmo: o título promissor desse minidrinque do Sóshots & Petiscos leva licores Baileys, de amêndoas e de café. Sai por R$ 13,00.

+ Doze cachaças que você vai querer beber (ou não) só pelo nome

Fonte: VEJA SÃO PAULO