Cinema

"A Tentação" aborda infidelidade, religião e intolerância

Filme do diretor inglês Matthew Chapman não tem afetações visuais e vai direto ao ponto para debater questões oportunas

Por: Miguel Barbieri Jr.

Abre Cinema 2282 filme A tentação
Traições e conflitos: Gavin (Charlie Hunnam) se aproxima da vizinha casada (Liv Tyler) (Foto: Divulgação)

Na primeira cena do drama A Tentação, o detetive Hollis (Terrence Howard) descobre que a mulher foi infiel durante muitos anos e seus dois filhos são de outro homem. Em seguida, surge mais um personagem em conflito. Gavin (Charlie Hunnam) está prestes a cometer uma loucura e Hollis, especialista em negociar com suicidas, ouve a história do rapaz.

+ Confira a crítica de "Katy Perry — Part of Me"

No topo de um edifício, ele tem poucos minutos para decidir se pula ou se deixa uma pessoa morrer em seu lugar. Saber o motivo que o levou a tal situação é o eixo central do roteiro, escrito pelo diretor e jornalista inglês radicado nos Estados Unidos Matthew Chapman. Marido da atriz brasileira Denise Dumont, o realizador não filmava desde 1988.

+ Veja a lista com os melhores filmes em cartaz

Gerente de um hotel, Gavin fez amizade com um casal recém chegado ao prédio onde mora e logo descolou um emprego de camareira para Shana Harris (Liv Tyler). Em retribuição, Joe (Patrick Wilson), o marido dela, oferece um jantar em sua casa. Gavin e seu amigo homossexual Chris (Chris Gorham) saem de lá contrariados.

+ Fizemos três perguntas para João Miguel, ator de "À Beira do Caminho"

Cristão fundamentalista, Joe acredita, por exemplo, na conversão de gays em héteros. Já Gavin, ateu e mais flexível, toca o cotidiano na base do desprendimento. A aproximação cada vez mais intensa entre ele e a vizinha casada vai convergir para um desenrolar tenso e um clímax inesperado.

+ Leia entrevista com Isa Ferraz, diretora do documentário "Marighella"

Sem afetações visuais nem gordurinhas na trama, o longa-metragem vai direto ao ponto para debater questões oportunas, como a intolerância religiosa dos protagonistas — Joe se agarrou a Deus, Gavin o abandonou e ambos possuem motivos plausíveis para tal decisão. Presente na vida de Hollis, Gavin e Joe, a traição conjugal está intimamente ligada à religiosidade, e depende deles perdoar o adultério para seguir em frente.

AVALIAÇÃO ✪✪✪

Fonte: VEJA SÃO PAULO