Esporte

Disputa entre as subsedes paulistas para abrigar seleções da Copa

Faltando sete meses para o Mundial, as cidades do Estado encaram uma espécie de "eliminatórias" para serem escolhidas como base dos times estrangeiros

Por: Júlia Gouveia - Atualizado em

Paradise Golf Lake & Resort Copa do Mundo ed. 2347
O campo de golfe do Paradise Golf Lake & Resort, em Mogi das Cruzes, um dos candidatos para receber as delegações estrangeiras durante a Copa do Mundo de 2014 (Foto: Divulgação)

A cidade de São Paulo já garantiu sua vaga na Copa do Mundo como uma das doze sedes. Terá, aliás, o privilégio de abrigar a abertura, no Itaquerão, em 12 de junho de 2014. Mas outros 22 municípios do estado ainda estão disputando as “eliminatórias”. No caso, batalham para ser escolhidos como base de preparação e ambientação de seleções estrangeiras antes do início das partidas. A definição dos locais ocorrerá apenas após o sorteio dos grupos do Mundial, em 6 de dezembro, na Costa do Sauípe, na Bahia. No entanto, os países já têm sondado os seus destinos preferidos e, com isso, o duelo nos bastidores começa a pegar fogo.

Nosso estado é o que mais concentra potenciais centros de treinamento no país: dos 83 credenciados pela Fifa, 30 são de São Paulo. O comitê local espera receber pelo menos dez seleções — representantes de mais de vinte nações já fizeram visitas por aqui. Em 2011, a delegação dos Estados Unidos passou por oito municípios, entre eles Atibaia e Barueri. Ao que tudo indica, porém, os americanos devem ficar na capital e treinar no CT do São Paulo, na Barra Funda, com hospedagem no hotel Tivoli Mofarrej. “A escolha do local de treinamento é estratégica para as equipes”, afirma Raquel Verdenacci, coordenadora executiva do comitê paulista. “Muitas, por exemplo, preferem espaços pequenos e exclusivos para proporcionar maior concentração.”     

Tatiana Alabarce Paradise Golf Lake & Resort Copa ed. 2347
Tatiana Alabarce, gerente de marketing do Paradise Golf Lake & Resort (Foto: Fernando Moraes)

Campinas lidera o ranking das mais procuradas: ao todo, recebeu dezessete visitas internacionais. A praticidade do Aeroporto de Viracopos, longe do gargalo de Cumbica, é um dos principais chamarizes. “Com os representantes da Espanha, fizemos o trajeto entre o estádio da Ponte Preta e o hotel Royal Palm Plaza em apenas seis minutos, graças ao apoio da guarda municipal e do órgão de trânsito”, afirma Alexandra Caprioli, diretora executiva do comitê Campinas Pró-Copa. “Sem o nosso esquema, demoraríamos mais de vinte.” Entre os mimos para conquistar os estrangeiros, vale até distribuir camisetas personalizadas de times locais ou um kit de boas-vindas “abrasileirado”, com artigos como chinelos Havaianas, doce de banana e chaveirinho da bandeira nacional.

O Paradise Golf Lake & Resort, em Mogi das Cruzes, é outro assediado: recepcionou doze países. “Nosso diferencial é reunir campo de treino e hospedagem. Não é preciso se deslocar”, diz a gerente de marketing Tatiana Alabarce. É quase certo que a Bélgica ficará no hotel. O Guarujá tem negociações avançadas com a Suíça. Isso se ela não for sorteada para o Grupo G, cujos jogos se concentram no Norte e Nordeste. Uma comitiva da Baixada Santista viajou ao país europeu em agosto para reforçar o pré-acordo. “Eles não querem ficar isolados, como ocorreu na África do Sul”, explica a secretária adjunta de turismo, Maria Eunice Grötzinger. Para agradar os suíços, o Estádio Antônio Fernandes está sendo reformado ao custo de 16 milhões de reais e o técnico Ottmar Hitzfeld foi levado a um passeio pelas praias da região em junho.

Delegação da Suíça no Guarujá Copa do Mundo ed. 2347
Ottmar Hitzfeld, técnico da seleção da Suíça, entre Maria Eunice Grötzinger (de vermelho), secretária adjunta de Turismo, e Maria Antonieta de Brito, prefeita do Guarujá, durante visita da delegação suíça à cidade. A comissão veio inspecionar os candidatos para serem sede da seleção durante a Copa do Mundo (Foto: Divulgação)

PASSAPORTE CARIMBADO

Os municípios mais visitados por algumas seleções:

› Campinas: Coreiado Sul, Espanha, Inglaterra, Noruega, Grécia e outras nove

› Mogi das Cruzes: Bélgica, Rússia, Suécia, Turquia, Japão e outras sete

› Itu: Alemanha, Espanha, França, Japão, Suíça e outras sete

› Santos: Austrália, Chile, Colômbia, Costa Rica, México e outras sete

› São Paulo: EUA, França, Irã, Itália, Portugal e outras sete

Fonte: VEJA SÃO PAULO