Cinema

Dia das Crianças: seis filmes

Saiba quais são as melhores opções para os pequenos

Por: Bruna Gomes, Clara Nobre de Camargo e Miguel Barbieri Jr. - Atualizado em

Os Smurfs
Gênio: o Smurf de óculos é o sabe-tudo da vila (Foto: Divulgação)

"Manda-Chuva — O Filme" e "Os Smurfs" estão na programação:

+ Dia das Crianças: atrações para aproveitar a data

  • Resenha por Miguel Barbieri Jr.: Filme dirigido por Tim Burton, "Alice no País das Maravilhas" ganha trilha sonora criada ao vivo pelo multi-instrumentista e compositor pernambucano Naná Vasconcelos e pelo Grupo Experimental de Música (GEM). Acontece dia 12/10/2011.
    Saiba mais
  • Resenha por Miguel Barbieri Jr.: A grande sacada de "Manda-Chuva — O Filme" foi que os produtores mantiveram os traços originais do desenho da década de 60. Nostálgica e com elementos, digamos, atualizados, a história flagra o espertalhão gato Manda-Chuva tentando derrotar um senhor megalomaníaco, que quer dominar Nova York. O vilão encostou o Guarda Belo num posto burocrático e, assim, segue com um plano para ter a cidade em suas mãos. Recomendado a partir de 4 anos. Estreou em 16/09/2011. Sessão Desconto Cinemark Entre os dias 21 e 23 de setembro, a sessão das 15h do filme "Manda-Chuva: o Filme" tem preço promocional: R$ 6,00 (inteira) e R$ 3,00 (meia). O filme participa da promoção no shopping Santa Cruz.
    Saiba mais
  • Se para os adultos pode ser uma trama previsível e insossa, para a meninada acima dos 4 anos há um atrativo extra: uma simpática bicharada que fala. O filme foi produzido pela companhia de Adam Sandler ("Gente Grande" e "Esposa de Mentirinha") e, não à toa, tem-se aqui a sensação de estar-se diante de uma comédia deste ator. No enredo, o gorducho Griffin Keyes (Kevin James) leva um fora da namorada por causa de sua profissão — ele é zelador de um zoológico. Para reconquistar a jovem, ele tenta mudar de emprego, mas os animais, que tanto gostam dele, vão se reunir para ensiná-lo a mudar seu frouxo comportamento. Entre os bichos estão um gorila, um leão, um macaco, um elefante e um urso de língua presa, todos muito bem dublados pelo humorista Marcelo Adnet. Estreou em 07/10/2011.
    Saiba mais
  • De “Esqueceram de Mim 3” (1997) a “Perdido pra Cachorro” (2008), o cineasta Raja Gosnell comandou, sempre no piloto automático, sucessos como “Vovó...Zona” (2000) e “Scooby-Doo” (2002). Criatividade nunca foi seu forte. “Os Smurfs”, seu recente trabalho, ainda carece dela, mas, comparado às suas fitas anteriores, resulta num programa familiar agradável e divertido. Criados no fim da década de 50, os seres minúsculos de cor azul eram personagens dos quadrinhos. Chegaram ao estrelato a partir de 1981 devido aos mais de 200 episódios de desenhos produzidos pela TV americana até 1990. Mostra-se acertada a transposição ao cinema. Enquanto os smurfs mantêm a origem na animação, os humanos e o vilão Gargamel são interpretados por atores. A mistura lembra a fórmula de “Alvin e os Esquilos” e “HOP — Rebelde sem Páscoa”, atrações destinadas ao público infantil que, recheadas de tiradas espertas, caíram também no agrado dos adultos. A trama tem início na floresta imaginária dos pequeninos seres. Habitantes de uma aldeia com casas no formato de cogumelo, eles são a perfeita tradução da harmonia e da felicidade. Surge, então, Gargamel (interpretado por Hank Azaria), um feiticeiro capaz de liquidar com a paz dos baixinhos em segundos. Na correria, Papai Smurf, Smurfette (a única garota do reino) e mais quatro amigos acabam em... Nova York (!). A partir do Central Park, onde vão parar, eles deparam com uma cidade frenética e cheia de contrastes. Meio na marra, eles encontram abrigo no apartamento do casal Patrick (Neil Patrick Harris) e Grace (Jayma Mays), grávida do primeiro filho. Executivo de marketing de uma fábrica de cosméticos, Patrick vive dias infernais por causa de uma chefe intransigente e de uma campanha valiosa. Os smurfs, além de incomodá-lo (motivo para risos autênticos), vão provocar uma série de contratempos em Manhattan. A agitada metrópole, inclusive, serve de palco em momentos-chave. Embora com pinta de merchandising, as sequências na loja de brinquedos FAO Schwarz respondem por situações hilárias. Estreou em 05/08/2011.
    Saiba mais
  • O livro homônimo de Ziraldo, que, lançando em 1995, já vendeu mais de 380 000 exemplares, ganhou uma versão bacana para o cinema, codirigida pelo sobrinho do escritor, André Alves Pinto. Programa ágil para crianças e nostálgico para adultos, mostra a façanha de uma espevitada professora, interpretada pela sempre graciosa Paola Oliveira. Com boa criação da década de 40, a trama se passa na pacata cidade mineira de São João del Rey. Depois de estudar na capital, Cate (Paola) vai lecionar num colégio de sua cidade natal e, lá, usa métodos de ensino nada ortodoxos. Por exemplo: dar gibis à criançada para incentivar a leitura e levá-los, pela primeira vez, ao cinema — o filme é Cleópatra (1934), onde eles devem aprender algo mais sobre história. Linda, simpática e inteligente, Cate vira alvo da paquera de vários moços, mas seu coração parece ter ficado preso no passado, quando brincava com Beto (Joaquim Lopes), o afilhado de seu tio (Chico Anysio) que virou padre. Talentoso, o garoto Caio Manhente faz o protagonista mirim e narra a história. Estreou em 07/10/2011.
    Saiba mais
  • A aventura, inspirada em fatos reais, narra o drama de um golfinho fêmea que, após perder a cauda numa armadilha, vai parar em um aquário na Flórida. Lá, Winter tenta ser salva por uma equipe de especialistas. Estreou em 14/10/2011.
    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO