Vale a viagem

Dez motivos para visitar a Expoflora

Evento é realizado em Holambra, a 140 quilômetros da capital

Por: Jennifer Detlinger - Atualizado em

Expoflora - chuva de pétalas
Chuva de pétalas: às 16h30 o público experimenta uma chuva de 150 quilos de pétalas de rosas (Foto: Divulgação)

Localizada a 140 quilômetros de São Paulo, Holambra recebe todos os anos uma multidão de turistas atraída pela beleza da Expoflora. Neste ano, a mega exposição começou no dia 26 de agosto e vai até 25 de setembro, de sexta-feira a domingo. 

Além das flores, há shows de dança, barracas de comida e uma tradicional chuva de pétalas, que nesta edição está mais encrementada, apresentando uma novidade: além das tradicionais pétalas de flores de todos as edições, os visitantes podem se deliciar com uma chuva de bolachinhas coloridas em forma de pétalas de rosas, feitas à base de farinha de trigo. 

Listamos a seguir dez motivos para pegar a estrada e ir passar um dia por lá.

1. É a maior mostra do gênero na América Latina

Com cerca de 13 000 habitantes, a cidade de Holambra tornou-se o maior centro de comercialização de flores do Brasil. Mais de 400 produtores atuam na cidade e participam do evento. A organização espera receber cerca de 300 000 visitantes durante os cinco finais de semana de festa.

2. Você vai ver as novidades do setor e descobrir flores que não imagina existir

Expoflora - campos de flores
Expoflora: milhares de variedades de flores (Foto: Divulgação)

Além de encher os olhos  e, claro, fazer muitas selfies, percorrer o pavilhão da Expoflora é uma oportunidade para entender mais sobre flores e plantas ornamentais. Como uma espécie de fashion week das flores, ditar tendências é uma parte essencial da mostra.

Para o jardim, violetas dobradas, calibrachoas (mini petúnias), petúnias Cascadia e Ray e a Orquídea Frozen, com nuances de azul e rosa, estão sendo exibidas. Nos cenários assinados pelos decoradores e paisagistas holandeses Jan Willem van der Boon e Jessica Drost são utilizados na decoração cerca de 2 000 vasos de flores e 300 000 hastes de mais de 3 500 diferentes variedades.  

3. É possível admirar de pertinho ambientes decorados por paisagistas

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

O espaço de exposição foi transformado numa residência completa dividida em dezenove ambientes internos e externos que vão desde o quintal até uma ateliê particular. Paisagistas como Luciano Zanardo e Mauro Contesini demonstram seu trabalho ao lado de arquitetos e designers de interiores. A maior novidade ficará na sala de banho e no espaço do casal. Neles, o aplicativo MeuJardim será apresentado ao público que, por meio dele, aprenderá a cuidar de seus jardins de forma gratuita. Como um alarme, o aplicativo notifica o usuário no momento perfeito para adubar as plantas.

4. Você vai se se sentir na Holanda

Expoflora - quintal holandês
Jardim interativo: um convite para conhecer o parque Keukenhof, na Holanda (Foto: Divulgação)

No final da caminhada por todos os ambientes expostos, encontra-se um jardim interativo onde o público é convidado a sentar contemplando quinze diferentes variedades de rosa. Em seguida, há dois painéis com fotos interativas do parque com o maior jardim do mundo Keukenhof, na Holanda.

5. Dá para assistir shows de dança típica

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

Dez grupos da cidade apresentam-se de hora em hora nos três palcos do espaço. Os integrantes exibem dezesseis coreografias que têm cerca de 1 600 anos. A ideia é retomar histórias sobre a origem do povo holandês representadas por meio de valsas, marchas e mazurcas. 

6. O Museu Holambra estará integrado à área da exposição

Um pedaço da história da colonização holandesa no Brasil é relatada neste museu, que foi integrado ao espaço da Expoflora. Maquinarias e tratores utilizados pelos imigrantes, fotos, filmes utensílios domésticos estão entre as peças expostas. Réplicas de casas de pau-a-pique e alvenaria remontam a ideia de como viviam os primeiros moradores de Holambra, na década de 1950. Durante o evento, o museu não cobra a entrada.

7. É possível participar da Parada das Flores e tentar a sorte na chuva de pétalas

Expoflora - chuva de pétalas
Chuva de pétalas: às 16h30 o público experimenta uma chuva de 150 quilos de pétalas de rosas (Foto: Divulgação)

Ao estilo dos parques temáticos, a Explora também tem sua “parada”. Mas, no lugar de personagens de contos de fada, os carros alegóricos carregam muitas flores. Uma fanfarra e pessoas fantasiadas de flores também participam do cortejo, que começa às 16h30. A multidão vai atrás e se concentra para o grande momento do dia: a chuva de pétalas. Cerca de 150 quilos de rosas são lançadas por um equipamento sobre os turistas. Diz a lenda que quem pega uma pétala antes que ela toque o chão tem seus desejos realizados. Quando as condições climáticas permitem, um helicóptero lança ainda mais pétalas por todo o parque às 17h30.

8. E depois fazer uma foto e curtir a vista da cidade no Moinho

Holambra: Moinho Povos Unidos
Moinho Povos Unidos: a engenhoca tem 38 metros de altura espalhados por cinco pavimentos (Foto: Jennifer Detlinger)

Na chegada ou na saída, o Moinho Povos Unidos é parada obrigatória de todo turista. Projeto de um arquiteto holandês, a construção tem 38 metros de altura e seis pavimentos, que ficarão abertos à visitação durante todo o evento (R$ 10,00). Cópia fiel dos tradicionais moinhos holandeses, a engenhoca foi inaugurada em 2008. No topo, um mirante proporciona uma vista bacana de toda a cidade e dos municípios vizinhos.

9. Você pode comprar souvenires e forrar o estômago sem sair de lá

Para quem não quer sair de mãos vazias, os três shoppings montados na Expoflora reúnem 250 estandes. Ali são vendidos produtos industriais de moda e decoração, plantas em vasos e sementes, além de móveis e utensílios domésticos. Quer mais? A Casa Bela, na Rua Dória Vasconcelos, 81, é o único local da cidade que vende cerâmicas vindas da Holanda e ganha duas unidades dentro da Expoflora. Tamancos e motinhos em miniatura, xícaras e pratos de porcelana estão entre os objetos encontrados. A casa esse ano traz uma novidade: bolachas à base de farinha, ovos, manteiga, açúcar de confeiteiro, baunilha e limão em formato de pétalas. Além disso, duas praças de alimentação reúnem dezesseis lanchonetes, duas confeitarias e sete restaurantes. É possível encontrar desde itens de fast food, como hambúrgueres, até comidas típicas holandesas.

10. E, antes de partir, comer os deliciosos doces da Confeitaria Zoet em Zout

Expoflora: Confeitaria Zoet en Zout
(Foto: Divulgação)

Antes de pegar a estrada, vale muito (muito mesmo!) parar nesta doceria (Rua dos Girassóis, 90F, Viela Lantanas, centro) para conferir os deliciosos doces feitos pela holandesa Maria Meulman e suas três filhas. Em mesinhas espalhadas em um gramado ou na varanda com vista para o Lago Vitória Régia, é possível provar quitutes como o frozen gebak (R$ 11,40), um doce de rosas que intercala pão de ló e ganache de chocolate branco. Ou, ainda, o abrikolas, uma tortinha de amêndoas com damasco (R$ 10,00). Para levar para casa, a tradicional torta de maçã é vendida inteira em dois tamanhos: a média (R$ 45,00) rende oito fatias e a grande (R$ 58,00), doze.

35ª Expoflora. Alameda Maurício de Nassau, 675, centro, Holambra (acesso pela Rodovia SP-340 Campinas-Mogi Mirim, quilômetro 140). Estacionamento em frente ao Moinho Povos Unidos. Telefone: (19) 3802-1421. De 26 de agosto a 25 de setembro, de sexta a domingo e na segunda e terça (7 e 8). 9h/19h. Entrada: R$ 42,00 na bilheteria. Grátis para menores de 5 anos acompanhados de adulto pagante. www.expoflora.com.br.

Fonte: VEJA SÃO PAULO