Arte urbana

Dez motivos para conferir a exposição “De Dentro e de Fora”

Mostra que abre nesta quarta (17) reúne instalações e intervenções de oito artistas internacionais feitas no interior e nas imediações do Masp

Por: Catarina Cicarelli - Atualizado em

De Dentro e de Fora - grafite
Tec, Defi e Chu: os artistas argentinos trabalhando em uma das instalações que fazem parte da exposição "De Dentro e de Fora" (Foto: Bloco)

Será aberta nesta quarta (17) a mostra de arte urbana “De Dentro e de Fora”, que vai até 23 de dezembro. Veja abaixo dez motivos para visitá-la:

1. Além de ocupar o hall e o mezanino do piso subsolo do Masp, a exposição também poderá ser vista em intervenções feitas pelos artistas convidados nas imediações do museu.

2. A exposição segue a mesma linha de “De Dentro para Fora/ De Fora para Dentro”, que ocorreu no museu em novembro de 2009 e foi vista por cerca de 140 mil pessoas. Ambas tiveram curadoria de Baixo Ribeiro, Eduardo Saretta e Mariana Martins. A única diferença é que a primeira mostra só contou com artistas nacionais enquanto esta terá apenas estrangeiros.

De Dentro e de Fora - montagem
Aos olhos do público: a montagem da exposição foi aberta aos visitantes do Masp (Foto: Bloco)

3. A montagem, que começou último no dia 2, fugiu do procedimento comum, pois foi aberta para que o público do museu pudesse acompanhá-la. Para produzirem suas obras, os oito artistas participantes utilizaram cerca de 600 latas de spray, 700 litros de tinta látex e aproximadamente 200 litros de cola.

4. O francês Invader, que como sugere o nome é especializado em trabalhar com referências ao jogo “Space Invader”, espalhou suas naves espaciais pela cidade. A organização até montou um mapa que mostra onde estão quinze delas.

De Dentro e de Fora - peixe grande
Peixe Grande na mostra De Dentro e de Fora: desenho feito pelo argentino Tec na Rua São Carlos do Pinhal (Foto: Tec)

5. Na Rua São Carlos do Pinhal, o argentino Tec pintou com cal o contorno de um enorme peixe que “atravessa” o viaduto que passa por baixo da Rua Peixoto Gomide. De um lado vê-se a cauda e do outro aparece a enorme cabeça.

6. O francês JR escolheu como local para uma de suas intervenções os tapumes que cobrem as obras do edifício onde será o Masp Vivo, também na Avenida Paulista. Lá, ele colou uma reprodução da foto Aldeia Kaiowá, de João Roberto Ripper – obra que faz parte do acervo do museu.

De Dentro e de Fora - tapume
Masp Vivo: intervenção do francês JR nos tapumes que cobrem a obra do prédio vizinho ao museu (Foto: Bloco)

7. A calçada da rua atrás do Masp também foi alvo de intervenções. O tcheco Point fez algo que já havia testado nas ruas de Praga e pintou as irregularidades do passeio com as cores vermelho, azul e amarelo.

8. A americana Swoon veio para o Brasil em junho para produzir sua instalação, que consiste em retratos de duas mulheres — cada uma mede 4,5 metros de altura por 3,5 metros de largura. Devido às grandes proporções das pinturas, a artista teve que pintar as obras no galpão da Cooperativa de Catadores Autônomos de

Papel, Papelão, Aparas e Materiais Reaproveitáveis (Coopamare), em Pinheiros.

De Dentro e de Fora - ursos
Fábrica às avessas: ursos de pelúcia "constroem" operário chinês em obra dos argentinos Tec, Defi e Chu (Foto: Bloco)

9. Além de fazer trabalhos individuais, os argentinos Tec, Defi e Chu trabalharam em conjunto para montar uma espécie de fábrica às avessas. Isso porque uma obra dos três mostra robôs articulados em formato de ursos de pelúcia como se estivessem em uma fábrica, “montando” um operário chinês.

10. A princípio a exposição seria montada apenas por estrangeiros, mas terá como convidados surpresa os artistas do coletivo Bijari — que representam a porção “de dentro”, como únicos participantes brasileiros. Eles são responsáveis por uma projeção em mapping 3D em uma das janelas do prédio de Lina Bo Bardi, que causa no espectador o efeito de expansão e redução do espaço.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO