Especial Fim de Ano

Crimes que chocaram São Paulo em 2013

Acidentes trágicos e crimes em família estão entre os principais casos que chamaram a atenção dos paulistanos

Por: Redação VEJASÃOPAULO.COM - Atualizado em

casa-pesseghini-policiais mortos
A casa onde morava a família Pesseghini, na Vila Brasilândia, Zona Norte (Foto: Rodrigo Paiva)

O ano de 2013 foi marcado por crimes que chocaram os paulistanos e acidentes trágicos que deixaram famílias estarrecidas. Em alguns casos, a investigação avançou e tanto a motivação do crime quanto os suspeitos foram revelados. Em outros, o mistério permanece. Confira dez casos e seus desfechos: 

policial pesseghini morto e família
Família Pesseghini (Foto: Reprodução / Facebook)

Em agosto, Marcelo Pesseghini executou os pais, a avó, uma tia e depois se matou dentro de casa, na Brasilândia, Zona Norte da capital. A chacina cometida por um garoto de 13 anos, seguida de suicídio, levantou suspeitas sobre a verdadeira autoria do crime. Os laudos periciais e policiais, no entanto, não deixaram dúvidas: Marcelinho, como era conhecido, assassinou a sangue frio a família e ainda foi à escola depois. Leia mais sobre o roteiro do horror na Brasilândia

paola e giovanna vitorazzo (2)
Giovanna e Paola Knorr Victorazzo (Foto: Arquivos de família)

Menos de um mês após o caso Pesseghini, outro crime em família e dentro de casa aconteceu na capital. A corretora de imóveis Mary Knorr é acusada de ter matado as filhas Paola e Giovanna Knorr Victorazzo, de 13 e 14 anos. Com problemas psicológicos, ela ficou internada até ser transferida para a penitenciária de Tremembé, onde aguarda julgamento. A polícia concluiu que Mary envenenou as adolescentes e é a única culpada pelo crime. Confira a reportagem especial de VEJA SÃO PAULO sobre crimes em família

Brayan Yanarico Capcha
Garoto Brayan Yanarico Capcha (Foto: Reprodução TV/ Rede Globo)

Um assalto à casa de uma família de bolivianos em São Mateus, na Zona Leste, terminou com o assassinato brutal de Brayan Yanarico Captcha, de apenas cinco anos. O crime aconteceu em junho. Dois suspeitos cumpriam prisão preventiva quando foram mortos na penitenciária. Outros dois participantes do assalto também foram encontrados mortos

MC Daleste
MC Daleste (Foto: Reprodução/Facebook)

Um dos símbolos do estilo conhecido como funk ostentação, o MC Da Leste  foi assassinado em cima do palco, durante um show em Campinas, no interior de São Paulo, em julho de 2013. Daniel Pellegrine tinha apenas 20 anos. Nasceu e foi criado na Penha, Zona Leste de São Paulo, e fazia sucesso com suas músicas sobre mulheres e roupas de grife. O crime ainda não teve um desfecho: a polícia até hoje não identificou o autor do disparo no meio da multidão. 

Canadense Dean
O canadense Dean Tissen (Foto: Reprodução/Facebook/New Energy Farms)

Entusiasta do Brasil, o empresário canadense Dean Tiessen esteve no país diversas vezes a trabalho e a negócios. Há menos de um mês, estava em São Paulo e, na volta de um almoço no litoral, foi morto a tiros durante um assalto na Rodovia Anchieta. Tiessen tinha planos de montar negócios aqui no Brasil. A polícia acredita que os assassinos sejam de Cubatão, na Baixada Santista, mas ainda não identificou os suspeitos.

David Santos Sousa 5
David Santos Sousa: para trabalhar, jovem fazia rapel para limpar arranha-céus da cidade (Foto: Reprodução)

O crime que cometeram contra David Santos Sousa não resultou em morte. Mas foi uma das maiores tragédias do ano: em uma madrugada de março, ele ia para o trabalho de bicicleta quando teve seu braço decepado por um motorista bêbado que invadiu a ciclofaixa. Além de fugir sem prestar socorro, Alex Kozloff Siwek, de 21 anos, pegou o braço de David e jogou em um córrego, eliminando por completo a possibilidade de reimplante. Ele responde em liberdade pelo crime de lesão corporal. Confira a reportagem especial sobre o acidente

victor deppman
Victor Hugo Deppman: assassinado por menor de idade depois de ter celular roubado (Foto: Arquivo de família)

O estudante Victor Hugo Deppman, de 19 anos, foi assassinado na frente de casa durante um assalto em abril deste ano. O principal suspeito é um menor que se entregou à polícia no dia seguinte, às vésperas de completar 18 anos. O crime brutal do bairro do Belém, na Zona Leste, reacendeu o debate sobre maioridade penal no país. 

bruna barboza lino
Bruna Barboza Lino (Foto: Reprodução/ Facebook)

Depois de uma festa, a estudante Bruna Barboza Lino, de 19 anos, foi com os amigos para uma construção abandonada ao lado da USP, onde cursava Letras, e caiu em um fosso. O traumatismo craniano causado pelo acidente foi fatal. Segundo um amigo, Bárbara procurava um banheiro quando sofreu o acidente. A polícia, no entanto, não está convencida e investiga o caso como morte suspeita. 

Chorão Charlie Brown Jr
Chorão (Foto: Divulgação)

Aos 42 anos, Chorão, cantor da banda Charlie Brown Jr. e ídolo da música pop brasileira, foi encontrado morto em seu apartamento no bairro de Pinheiros, na Zona Oeste da cidade, no dia 6 de junho. O laudo da perícia concluiu que o cantor sofreu uma overdose de cocaína. 

Champignon Mulher Claudia Bossle Campos
Champignon e a mulher Claudia Campos (Foto: Reprodução)

Seis meses depois da morte do parceiro de banda, o baixista Champignon, ex-Charlie Brown Jr., também foi encontrado morto no apartamento que dividia com a mulher na Vila Sônia, Zona Oeste da capital. Em entrevista à VEJASAOPAULO.COM em maio, o músico contou que sentia falta de Chorão e que o grupo não era mais o mesmo sem ele.

Fonte: VEJA SÃO PAULO