AVIAÇÃO

"Desconfiei de algo quando vi policiais e cães farejadores", diz passageira de voo da TAM

Carla Wlach, brasileira que vive em Viena, afirma que tripulação não avisou no vvo sobre ameaça de bomba em aeronave 

Por: Veja São Paulo

carlawlach
Carla e o marido, Max, com os filhos Danny e Emily (Foto: reprodução)

Passageira do voo da TAM que precisou retornar ao aeroporto de Barajas (Espanha) após uma suspeita de bomba, a enfermeira Carla Wlach afirmou que só desconfiou que havia algum problema na aeronave quando pousaram na capital espanhola. “No ar, só disseram que havia um problema de navegação e que teríamos de voltar para Madri”, contou. “Não houve pânico. A tripulação continuou servindo o jantar normalmente.”

A aeronave da TAM, que fazia a rota Madri-São Paulo, precisou voltar após autoridades emitirem alerta de uma ameaça de bomba no voo. Na manhã desta terça, a empresa aérea divulgou comunicado, informando que não havia nenhum artefato explosivo no avião.

De acordo com Carla, havia muitos policiais, cães farejadores e uma van com aparelho de raio X para verificar as malas de mão. “Logo percebi que o tal problema de navegação era outra coisa. Mesmo assim, não imaginei que era alto tão sério”, contou ela. “Apenas agradeci a Deus pelo livramento que Ele deu a mim e a minha família.”

Carla, que mora em Viena na Áustria, viajava como o marido, o austríaco Max, e os filhos Danny, de 12 anos, e Emily, de 1 ano. Ele volta a São Paulo para celebrar as festas de fim de ano. 

Segundo a TAM, um novo voo está programado para sair de Madri com destino a São Paulo às 20h30 (horário de Madri). 

Fonte: VEJA SÃO PAULO