Vale a viagem

Descendentes de americanos lembram Guerra Civil com festa

Comemorações acontecem em Santa Bárbara d'Oeste, a 130 quilômetros da capital

Por: Filipe Vilicic - Atualizado em

Entre 1861 e 1865, cerca de 600.000 soldados morreram na Guerra Civil Americana. Os chamados Estados Confederados da América, o bloco formado por estados do sul que planejava se separar do restante do país e manter a escravatura, foram derrotados. Após o fim do conflito, alguns militares, fazendeiros e pequenos industriais incomodados com a situação emigraram para o Brasil. Boa parte se instalou na região de Santa Bárbara d'Oeste, a 130 quilômetros de São Paulo. Para relembrar as batalhas, descendentes dos imigrantes participam, no domingo (15), da 21ª- edição da Festa Confederada. Homens trajando uniforme cinza, botas e chapéu dançam quadrilha com mulheres vestidas como a personagem Scarlett O'Hara, vivida por Vivien Leigh no filme ...E o Vento Levou (clássico que se passa durante a guerra). Barracas vendem frango empanado e bandas tocam jazz e folk. Por todo lado se vê a bandeira Dixie, o símbolo dos estados rebeldes. São esperadas cerca de 1.500 pessoas na festa, que ocorre no Cemitério do Campo, terreno particular onde descendentes de sulistas são enterrados. Não é necessário ter sangue ianque para curtir a brincadeira. "As idéias racistas que ambos os lados da guerra mostravam ficaram para trás", afirma o engenheiro Cicero de Cillo Carr, presidente da Fraternidade Descendência Americana, que organiza o evento.- Festa Confederada. Cemitério do Campo, Estrada dos Confederados, Santa Bárbara d'Oeste. Domingo (15), 10h/18h. Entrada: R$ 8,00. Grátis para menores de 12 anos e maiores de 65.

Fonte: VEJA SÃO PAULO