Criminalidade

Dentista que teve o corpo queimado morre em São Paulo

Alexandre Peçanha Gaddy estava internado em estado crítico desde o dia 27 de maio; conselho regional já recebeu 63 denúncias

Por: Redação Veja São Paulo - Atualizado em

Dentista Queimado
Dupla ateia fogo em dentista e Conselho cobra mais segurança (Foto: Reprodução TV)

O dentista Alexandre Peçanha Gaddy, de 42 anos, que teve o corpo queimado em São José dos Campos, no interior de São Paulo, morreu por volta de 22h30 da noite de segunda-feira (3). Ele estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Albert Einstein.

Gaddy estava em estado crítico, segundo o hospital, "devido a longa extensão de queimaduras sofridas (mais de 50% do corpo) e sendo a maioria dessas lesões de terceiro grau". O enterro vai acontecer às 17 horas no cemitério Gethsemani, na região do Morumbi.

No dia 27 de maio, o dentista estava em seu consultório quando dois homens encapuzados entraram e reviraram o local, mas não levaram nada. Os policias foram chamados por vizinhos e se depararam com a vitima em chamas e ainda consciente.

Este foi o segundo caso em pouco mais de um mês de um dentista morto dentro do consultório no estado de São Paulo. Em abril, Cinthya Magaly Moutinho de Souza foi queimada viva em em São Bernardo do Campo.

Logo depois da morte de Cinthya, o Conselho Regional de Odontologia (Crosp) criou o canal Vamos nos protegerpra receber queixas de possíveis ameaças pelo e-mail vamosnosproteger@crosp.org.br. Até o momento, 63 denúncias foram recebidas e encaminhadas para a Secretaria de Segurança Pública (SSP). Nos próximos dias, também deve ser lançado um número 0800 voltado exclusivamente para a classe.

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO