Bares

De frente para o Bartender

Conheça dez balcões obrigatórios para quem aprecia um bom drinque

Por: Saulo Yassuda e Fábio Galib - Atualizado em

Le Jazz Petit Bar
Le Jazz Petit Bar: misturas caprichadas (Foto: Ligia Skowronski)

Bar do Jiquitaia: Suba a escada à direita do restaurante e eleja uma banqueta. Os bartenders Diogo Rodrigues e Felipe Leite tentam adivinhar seu gosto e sugerem coquetéis como o celery sour (gim, limão, abacaxi e bitter de salsão; R$ 27,00).

Empório Alto dos Pinheiros: A crise não diminuiu a oferta de chopes do endereço — são 33 rótulos. O melhor lugar para beber é a bancada de frente para as torneiras e a lousa com as opções disponíveis. É o caso do Rogue Cold Brew IPA, com café na fórmula (R$ 15,00; 150 mililitros).

empório alto dos pinheiros
Rogue Brutal IPA do Empório Alto dos Pinheiros (Foto: Sophia Braun)

Huto Izakaya: Da bancada de madeira, dá para observar o preparo das saborosas pedidas orientais. Prove o espeto de kobe beef e foie gras ou a berinjela com vieira e ovas de salmão ao molho de missô e gergelim (R$ 36,00).

Le Jazz Petit Bar: No salão, há apenas o balcão concorrido, em formato de U, um ótimo lugar para bater um papo e tomar um drinque. O blood and sand (uísque, licor de cereja, vermute tinto e suco de laranja) sai a R$ 34,00.

SubAstor: Não há dúvida de que é quase obrigatório, para quem curte coquetelaria, sentar- se à bancada iluminada do endereço. O gim tônica preparado com o novo gim brasileiro Arapuru é aromatizado com caju (R$ 34,00).

Boca de Ouro: Praticamente só há os dezesseis lugares diante do balcão para se sentar. Atrás dele, o sócio Arnaldo Hirai prepara drinques como o hanky panky (gim, vermute tinto e bitter Fernet Branca; R$ 26,00). Peça também o clássico manhattan (R$ 25,00).

Boca de Ouro
O hanky panky do bar Boca de Ouro (Foto: Ricardo D'Angelo)

Frank: No disputado balcão, puxar papo com os bartenders sobre bebidas enriquece qualquer visita. De paladar seco, o frank’s 3rd degree (R$ 33,00) leva gim, vermute de orapro-nóbis, absinto e bitter de limão-cravo.

Izakaya Issa: É legal se sentar bem de frente para as prateleiras de garrafas de uísque, saquê e shochu com o nome do proprietário etiquetado. Uma brigada de mulheres faz petiscos como o takoyaki, o bolinho de polvo (R$ 40,00 a porção).

Riviera Bar: A sinuosa bancada vermelha domina o térreo, onde se beberica o aphotecary (cachaça, limão, xarope de mel, gengibre e um toque de uísque; R$ 25,00). Nas noites de quarta, o talentoso bartender Kennedy Nascimento dá expediente no espaço.

Tan Tan Noodle Bar: Depois de esperar na calçada, finalmente chega o momento de se sentar à bancada e sorver um lámen (R$ 34,00 com copa moída). Para bebericar, vá de spectre martini (vodca, shochu, absinto, vermute e cebolinha em conserva; R$ 27,00).

Tan Tan
Spectre martini do Tan Tan Noodle Bar (Foto: Ricardo D'Angelo)

Fonte: VEJA SÃO PAULO