CIDADE

'Estou indignado", diz ciclista atropelado na Paulista

Justiça de São Paulo decidiu reduzir a pena de motorista que atropelou e decepou o braço de David Sousa em 2013

Por: Ana Luiza Cardoso e Thaís Reis de Oliveira - Atualizado em

David Sousa
“A sensação é de indignação e injustiça”, disse Sousa (Foto: REPRODUÇÃO)

O ciclista David Santos Sousa, de 24 anos, ficou sabendo no domingo (3) da decisão da Justiça de São Paulo de reduzir a pena de Alex Kozloff Siwek, que o atropelou e decepou o seu braço, em março de 2013. “A sensação é de indignação e injustiça”, afirmou a VEJA SÃO PAULO. “A pessoa não responde por crime nenhum. Ocasionou uma lesão que não tem reversão. Outras pessoas perdem filhos, parentes e passam pelo mesmo. Sentem-se injustiçadas, pois os responsáveis saem impunes”. Segundo o jovem e o seu advogado, Ademar Gomes, eles pretendem recorrer a decisão da Justiça.

+ Ciclista atropelado na Paulista: um futuro decepado

Na sentença do último dia 30, ficou decidido que Siwek cumprirá pena de dois anos de detenção em regime aberto, oito meses de habilitação suspensa e uma multa. Ele também deverá prestar serviços à comunidade e prestação pecuniária de cinquenta salários mínimos. Antes, havia sido condenado a seis anos de detenção em regime semiaberto, multa de sessenta salários mínimos, além da suspensão da habilitação para dirigir veículo automotor por cinco anos.

+ “Estou tentando superar o trauma”, diz ciclista

Hoje, Sousa trabalha na administração de uma universidade e também em um serviço de entregas, a bordo de uma bicicleta. Mora sozinho, próximo a Diadema. Segundo a sua mãe, Antônia Ferreira dos Santos, ele busca sempre a independência. A reportagem ela também lamentou a recente decisão do TJ. "É uma coisa que não aconteceu só com o meu filho e vai continuar acontecendo. É muito triste. Essa lei dá abertura para quem não merece”, disse.

Alex Siwek
O motorista Alex Siwek, na delegacia: ele fugiu sem dar socorro e mais tarde se entregou à polícia (Foto: NElSON ANTOINE / FOTOARENA / FOLHAPRESS)

+ Pai de Alex Siwek diz que ele e a família não são monstros

Relembre o caso

No dia 10 de março, o então estudante de psicologia Alex Kozloff Siwek atropelou o limpador de vidros David Santos Sousa, que ia de bicicleta para o trabalho, na região da Avenida Paulista. Souza estava na ciclofaixa de lazer e, segundo testemunhas, o motorista dirigia em ziguezague.

No acidente, o braço de Sousa foi decepado e jogado por Siwek em um córrego, na Zona Sul da cidade. O motorista se apresentou à polícia e ficou preso por um tempo na Penitenciária Doutor José Augusto Salgado de Tremembé, no interior do estado.

Fonte: VEJA SÃO PAULO