Televisão

No ar, Danilo Gentili ironiza fim de seu ex-programa

Apresentador do The Noite, no SBT, afirmou estar rindo por dentro com o extinção do Agora é Tarde, da Band

Por: Veja São Paulo - Atualizado em

Danilo Gentili
O apresentador Danilo Gentili: alfinetas no colega Rafinha Bastos e na ex-emissora (Foto: Lucas Limas/VEJASP)

O apresentador Danilo Gentili, que por dois anos comandou o Agora é Tarde, ironizou, na noite de terça-feira (24), o fim do programa exibido pela Rede Bandeirantes.

"Quando eu vi que anunciaram o fim do Agora é Tarde, eu fiquei triste. Foi uma criação minha, era como se fosse o meu bebê. O programa era como uma ceia de Natal para nós. Ceiamos, comemos tudo e nos deliciamos. Agora virou 'o resto da ceia' que sobrou e demos para um mendigo, no caso, o Rafinha Bastos", disse em seu talk show The Noite, que vai ao ar no SBT. 

+ Band acaba com 'Agora é Tarde', de Rafinha Bastos

O apresentador ainda comparou a audiência do ex-programa ao desempenho do Palmeiras. "Tava legal acompanhar [o programa] porque era igual ao Palmeiras, que comemora quando ganha um pontinho.”

Com a língua afiada, Gentili alfinetou o ex-colega de CQC: “Rafinha, você continua na internet fingindo não ter o orgulho ferido e eu continuo aqui, fingindo que não estou me cagando de rir por dentro”.

 

Em sua conta no Twitter, Rafinha Bastos, que continuará no ar com o Agora é Tarde até 10 de abril, tem brincado com o fim do programa. “Estou fora. O Agora é Tarde de hj será apresentado pelo meu pai”, escreveu ele na terça-feira”, escreveu. “Coloquei trabalho no Waze e ele me mandou pra casa”, postou ele em outra mensagem. .

A Band anunciou o fim do programa na última segunda-feira (23). No lugar do talk show, será exibida a série Roma, com 20 capítulos. A emissora disse que Rafinha continua na casa e que está estudando novos projetos para o apresentador. A produção do Agora é Tarde foi demitida. A banda Os Nerds, capitaneada por André Abujamra, e a ex-BBB Francine Piaia deixam a Band. Gustavo Mendes, que faz imitações de Dilma, e Marcelo Mansfield ainda negociam seus contratos.

Fonte: VEJA SÃO PAULO