Consumo

São Paulo da pechincha ao luxo

Ruas, shoppings e galerias para todos os tipos de paulistanos

Por: Flora Monteiro e Kiki Romero

Oscar Freire - Consumo - Compras - 2273a
Rua Oscar Freire: tarde de consumo para ver e ser visto (Foto: Daniela Toviansky)

Pense no que você quer comprar e São Paulo vai oferecer quase tudo, de qualquer tamanho e modelo. As opções vão de camisetas a R$ 10,00 no bairro do Bom Retiro, onde é possível encontrar barganhas mesmo sem negociar no atacado, ao Shopping Iguatemi, com joias que custam o preço de um carro — ambos lotados de consumidores dos mais diferentes perfis e propósitos. Aos poucos, quem vem de fora tem descoberto também locais como o Outlet Premium, onde com paciência e sorte dá para juntar o melhor dos dois mundos: marcas famosas e preços camaradas.

Alameda Gabriel

O nome completo desta que é uma das mais importantes ruas de decoração do país é Alameda Gabriel Monteiro da Silva, um dos pontos obrigatórios do Jardim Paulista. Prepare o bolso para encontrar exemplares sofisticados do design brasileiro e internacional. Não deixe de entrar na Firma Casa, no número 1487, para conferir as criações dos irmãos Campana e do escritório de design Zanini de Zanine.Vale conhecer também os móveis desenhados pelo estilista Jum Nakao para a loja A Lot Of, no número 256.

Bom Retiro

O bairro, no centro paulistano, é o lugar certo para quem procura roupas baratas e não faz questão de etiquetas famosas. As centenas de fachadas, que ocupam os dois lados da Rua José Paulino e os arredores, oferecem moda infantil, adulta, praia e plus size, além de acessórios, como bolsas, sapatos, brincos e colares. Apesar do preço baixo, é comum achar peças de boa qualidade. Grande parte delas é revendida em butiques multimarcas da cidade por um valor bem mais alto. É preciso, porém, boa dose de paciência para enfrentar as calçadas superlotadas e as limitações dos estabelecimentos — muitos não têm provador e comercializam apenas no atacado. Para encontrar bons produtos no varejo sem perder tempo, vá direto às lojas Limelight e Otavio Giora.

Galeria do Rock

Galeria do Rock - Compras - Consumo
Galeria do Rock: peças e serviços descolados (Foto: Mario Rodrigues)

+ Galeria do Rock vira point de lojas de roupas

+ As Boas Compras: Rock

No fim da década de 70, diversas lojas de disco começaram a se instalar no edifício ondulado, projetado pelo arquiteto Alfredo Mathias, e a atrair um público interessado no estilo musical que emprestou o nome ao centro comercial. Hoje, 450 estabelecimentos, entre estúdios de piercing e tatuagem, salões de beleza e butiques de roupas, vinis e CDs, disputam a atenção dos visitantes. Uma das paradas mais tradicionais é a Baratos Afins, no 2º andar.

Oscar Freire e arredores

O Jardim Paulista é a melhor opção em São Paulo para quem gosta de grifes vistosas, das moderninhas às requintadas, e sente prazer em fazer compras a pé, vasculhando as vitrines ou dando um tempo para tomar um sorvete nos bancos de madeira. Parte da Rua Oscar Freire, a mais famosa da região, tem charme urbanístico extra, sem postes de fiação elétrica e com ótimas calçadas. Nas proximidades, dois lugares bacanas farão diferença nesse passeio: a Livraria da Vila, que, além de bonita — o projeto é do arquiteto Isay Weinfeld —, tem funcionários bem preparados para dar boas indicações de leitura, e o empório gourmet Casa Santa Luzia, point entre os amantes da gastronomia, que atrai pela variedade e qualidade dos produtos saborosos.

Outlet Premium

A cinquenta minutos da capital, a área com mais de 100.000 metros quadrados concentra 98 lojas de grifes nacionais e internacionais, como Nike, Osklen, Lacoste, Hugo Boss e Giorgio Armani. Os produtos, todos de coleções passadas, chegam a ter 80% de desconto. Para a visita ser vantajosa, é preciso ter disposição e tempo de circular pelo espaço. Vale anotar, porém, uma particularidade: há uma gama maior de itens com numerações pequenas e grandes.

Rua 25 de Março

Rua 25 de Março - consumo - compras - 2273a
Rua 25 de Março: prefira ir de táxi ou metrô (Foto: Ricardo Correa)

+ O Shopping Iguatemi e a 25 de Março: extremos que se complementam

+ 25 de Março: como se dar bem nesta eterna muvuca

Se consideradas as outras dezessete ruas do entorno, é o maior centro comercial a céu aberto da América Latina. São aproximadamente 3.000 lojas, que oferecem de colares de pérolas falsas a lustres de cristal, além dos cerca de 2.000 camelôs espalhados pelas vias. Entre as boas pedidas, na própria 25 de Março está a Le Charm, no número 673, especializada em bijuterias. O ambiente tumultuado pede atenção redobrada aos pertences, como celulares, carteiras e bolsas. Outra recomendação é deixar o carro em casa e optar pelo táxi ou pelo metrô, já que a circulação por ali fica complicada nos dias de grande frequência, em especial no fim do ano.

Shopping Cidade Jardim

Shopping Cidade Jardim
Shopping Cidade Jardim: prédio sofisticado no Morumbi (Foto: Leo Feltran)

Inaugurado em 2008, o centro comercial fica dentro de um conjunto de gigantismo sem paralelo na metrópole, composto também de torres residenciais e empresariais — os moradores que não querem sair da área podem resolver todos os problemas cotidianos ali mesmo, até ir ao dentista ou ao cabeleireiro. A lista de grifes inclui Daslu, Chanel, Prada e lojas exclusivas da Hermès, Emilio Pucci, Jimmy Choo e Rolex. Uma revenda dos luxuosos iates italianos Ferretti impressiona com barcos monumentais em exposição. Pular de vitrine em vitrine é gratificante: as diversas áreas abertas e os jardins do lugar dão certo clima ao passeio ao ar livre.

Shopping D&D

O maior centro de decoração e design da América Latina faz parte do complexo WTC. São 24.000 metros quadrados e 95 lojas. Não deixe de conferir os móveis da Artefacto e as peças feitas por artistas reconhecidos da Dpot. Para quem procura itens de cozinha, vale dar uma passada na Spicy. Conheça também os tapetes da By Kamy e da Avanti. Na hora de retomar o fôlego em meio ao périplo de compras, conte com a lista bem variada de restaurantes no local.

Shopping Iguatemi

O primeiro shopping Center da América Latina é também um dos mais famosos da cidade. Reúne 330 lojas nacionais e importadas e atrai uma média diária de 48.000 pessoas. As butiques das grifes Christian Louboutin, Esther Giobbi e Missoni não são encontradas em nenhum outro centro comercial do Brasil. Para o programa ser completo, faça uma pausa pelos bons restaurantes do prédio, como Rodeio e Gero Caffé.

Vila Madalena

+ Restaurantes, bares, lojas e curiosidades sobre o bairro

Famoso por ser um dos redutos boêmios da cidade, o bairro oferece mais do que bons bares. Durante o dia, lojas e ateliês não deixam as ruas ficar vazias e traduzem nas prateleiras o espírito da vila: muitas peças criativas, com um toque de manufatura, que atraem um público antenado com a moda, mas pouco afeito a exibir etiquetas manjadas. Vale conferir os acessórios da CAS, as roupas da Simultanea e as peças de decoração da Carbono Design.

Fonte: VEJA SÃO PAULO