Comportamento

Cycle Chic: tudo sobre o movimento cheio de estilo

Conheça a história do termo, moradores de São Paulo que aderiram à prática e se inspire em nosso editorial de moda

Por: Bruna Gomes - Atualizado em

Cycle Chic ilustração
(Foto: Fernanda Guedes)

Ciclistas de vestido, salto alto ou terno deixaram de ser exclusividade dos países europeus. Paulistanos têm vendido seus carros ou alternado os trajetos com as bikes para fugir do trânsito, ganhar qualidade de vida e tempo.

O Cycle Chic, termo pomposo cunhado pelo fotógrafo e jornalista dinamarquês Mikael Colville-Andersen, “é apenas um jeito moderno de chamar algo que existe desde quando as bicicletas foram inventadas por volta de 1880”, explica o próprio Colville. “Denomina cidadãos normais pedalando em suas cidades com as roupas do dia a dia”, completa.

O movimento é mais forte em Copenhague, onde a sociedade brigou por mais espaço e mais respeito aos ciclistas. “Hoje, 55% da população usa a bicicleta para ir ao trabalho. E como a bicicleta é apenas um meio de transporte, não faz sentido para eles colocar uma legging e uma regata dry fit para pedalar e, depois, trocar de roupa”, explica Natália Garcia, dona do projeto Cidades para Pessoas.

Se, na plana e fria Copenhague, a volta da bicicleta às ruas foi algo natural, como importar o movimento a ladeiras, trânsito hostil e 30ºC em pleno inverno em São Paulo?

Veja abaixo exemplos de quem topou o desafio:

Fonte: VEJA SÃO PAULO