Religião

As exigências de algumas igrejas para quem sonha em ser pastor

Confira quais são as características imprescindíveis para se tornar líder de uma igreja evangélica

Por: João Batista Jr. - Atualizado em

Capa Ed. 2304 - Cursos para Pastores - Universal do Reino de Deus
Universal do Reino de Deus (Foto: Divulgação)

Assembleia de Deus Vitória em Cristo

O líder Silas Malafaia pede a seus funcionários — de diácono a presbítero — que cursem teologia. O aprendiz selecionado para virar pastor tem de fazer um curso intensivo de quatro meses de duração, com o objetivo de aprender detalhes da burocracia da igreja, suas regras e o tipo de oratória adotada.

Igreja Renascer em Cristo

Capa Ed. 2304 - Cursos para Pastores - Igreja Renascer em Cristo
Igreja Renascer em Cristo (Foto: Heudes Regis)

Desde que a fundaram, há 26 anos, os bispos Estevam e Sonia Hernandes criaram o Centro de Estudos Renascer, instalado no Cambuci. Os cursos são divididos nas categorias aspirantes, diáconos, presbíteros e pastores.

Internacional da Graça de Deus

Capa Ed. 2304 - Cursos para Pastores - Internacional da Graça de Deus
Internacional da Graça de Deus (Foto: Fernando Moraes)

Formação bíblica é requerida pelo líder R.R. Soares. Os obreiros ascendem muitas vezes depois de graduados na Academia Teológica da Graça de Deus (escola de Soares localizada perto da Praça da Sé).

Mundial do Poder de Deus

Capa Ed. 2304 - Cursos para Pastores - Mundial do Poder de Deus
Mundial do Poder de Deus (Foto: Leonardo Soares/AE)

Prefere atrair bons quadros da concorrência a formar pastores. Para isso, oferece melhores salários e benefícios. Seus alvos preferidos são os profissionais da Universal e da Internacional.

Universal do Reino de Deus

Recruta jovens obreiros dos templos de todo o país. Os mais aplicados se mudam para São Paulo, com todas as despesas pagas, continuam o trabalho e são preparados para funções mais importantes.

+ Acompanhamos um dos maiores cursos para formação de pastores do país

+ Confira na íntegra a entrevista com o pastor Silas Malafaia

Fonte: VEJA SÃO PAULO