Especial Educação

Cursos virtuais têm adesão de universidades como USP e FGV

Preços são bem mais baixos que o das classes presenciais, no caso das insituições particulares

Por: Thais Reis Oliveira

Educação a distância
Alencar: estudo nos intervalos do trabalho (Foto: Ricardo D’angelo)

Formado em processos gerenciais pela Universidade Paulista (Unip) em 2014, o representante comercial André Alencar, de 37 anos, queria voltar a estudar, mas não conseguiria sair do trabalho a tempo de chegar à faculdade. Ele quase desistiu da ideia, até decidir fazer, em 2015, uma pós- graduação a distância — no caso, um MBA em gestão empresarial na Fundação Getulio Vargas. Ele conclui o curso no fim deste ano. “Fui até promovido depois disso”, comemora. “Agora, sou o responsável também pelas vendas no interior do estado.”

+ Aprenda novos idiomas com refugiados, idosos e apps

Alencar é um dos cerca de 350 000 estudantes da capital matriculados em cursos a distância, um aumento de 30,5% em relação a 2015. Ao contrário do que acontecia uma década atrás, quando esse tipo de ensino era pouco reconhecido, hoje mais de 360 universidades oferecem a modalidade, entre elas a USP e o Mackenzie. O prazo para se formar na graduação on-line é o mesmo que o da aula presencial, mas o preço é bem menor, já que não há custos com salas ou funcionários. Para ter uma ideia, a pedagogia na Unip custa, em média, 600 reais por mês. Se for a distância, sai a partir de 150 reais.

Para o futuro, os especialistas preveem a expansão de módulos híbridos de ensino. “A tendência é misturar as aulas virtuais e presenciais, com a criação de pequenas sedes”, diz Roberto Valerio, executivo da Kroton, que atua na área há quase dez anos. A empresa é dona da Anhanguera e da Unoparque, juntas, oferecem mais de 35 opções de curso a distância.

Novidades na versão on-line

Enfermagem

Foi autorizado recentemente pelo Ministério da Educação seu modelo semi presencial. O aluno deve cumprir 54% da carga horária em sala de aula.

Engenharias

Desde o início do ano há cursos de engenharia elétrica, civil, mecânica, de computação e de produção em modelo semi presencial.

Cursos Livres

Faculdades importantes passaram a oferecer módulos gratuitos em áreas como direito, marketing, gestão empresarial e física.

Fonte: VEJA SÃO PAULO