Comportamento

Curso de noivos da Igreja Católica se renova

Preparação inclui palestras ministradas por médicos, psicólogos e psicanalistas especializados em relacionamentos e têm linguagem dinâmica e direta

Por: Rosana Zacabi - Editora da revista VIAGEM E TURISMO - Atualizado em

Curso para noivos 2194
A jornalista Rosana Zakabi, com o noivo, Wilson Montiel: boa surpresa (Foto: Cida Souza)

Primeiro, foi o pedido de casamento. Depois, a família feliz. Logo em seguida, começou a correria dos preparativos: a escolha do bufê, da decoração, da equipe de foto e vídeo, dos bem-casados, dos convites, das lembrancinhas... E quem decide por uma cerimônia católica, seja na igreja, seja no bufê em que será realizada a festa, como é o meu caso, tem ainda de fazer um curso de noivos em alguma paróquia paulistana — no ano passado, as 293 igrejas da Arquidiocese de São Paulo celebraram 8 684 uniões. Eu e meu noivo, o psicólogo Wilson Montiel, vamos nos casar no próximo dia 23 de janeiro. Conseguimos vaga no curso de 28 de novembro (domingo) no Santuário de Nossa Senhora do Rosário de Fátima, no Sumaré. Pagamos uma taxa de 50 reais, que deu direito a café da manhã, almoço e café da tarde.

As aulas começaram pontualmente às 8 horas. Conosco, outros 24 casais, entre 25 e 38 anos. A primeira tarefa do dia foi rezar uma Ave-Maria e praticar a “aeróbica do Senhor”, aquela dancinha popularizada pelo padre Marcelo: “Braço direito / braço esquerdo / perna direita / perna esquerda / louvemos ao Senhor!”. Para minha surpresa, as atividades religiosas pararam por aí. Médicos, psicólogos e psicanalistas especializados em relacionamentos — todos voluntários — ministraram as palestras que vieram a seguir.

Na apresentação sobre “felicidade conjugal”, a psicóloga Leda Maria Munerato de Almeida perguntou quantos casais moravam juntos. Três levantaram a mão. “Bem, então vocês já sabem como é a convivência no dia a dia”, disse ela. Leda também parabenizou uma das noivas, que revelou estar grávida. Em outra palestra, o psiquiatra Alfredo Simonetti, autor do livro “O Nó e o Laço — Desafios de um Relacionamento Amoroso”, explicou que o diálogo é tão importante quanto o sexo — e não necessariamente só depois do casamento. O ginecologista Paulo Fernando Veinert começou sua apresentação sobre o corpo humano dizendo: “Não tenho a pretensão de falar para um grupo de virgens”. E explicou a eficácia e o grau de segurança de diversos métodos anticoncepcionais.

O curso de noivos do Santuário Nossa Senhora do Rosário de Fátima existe há mais de quarenta anos e ocorre quatro vezes por ano. Segundo os organizadores, passou por transformações nas últimas décadas. Nos anos 70, começava na tarde de sábado e terminava só na noite de domingo. Hoje, dura apenas um dia (em algumas igrejas, é de meio período). Os temas não mudaram muito, mas o conteúdo foi resumido e — sinal dos tempos — renovado. “Sentimos a necessidade de nos modernizar, até para acompanhar outras paróquias”, diz o coordenador Lauro Costa Nogueira. Durante o almoço, houve gincanas e sorteios de livros. O evento acabou com a entrega dos certificados e uma missa, às 18h30. Confesso que o ritmo intenso foi um pouco cansativo. No final, no entanto, achei o curso produtivo e surpreendente. Uma aula sobre valores e vida a dois.

Fonte: VEJA SÃO PAULO