Esporte

O almanaque do Peixe

Fatos, estatísticas e curiosidades sobre a história do Santos

Por: Erich Beting, Rodolfo Rodrigues, Marília Ruiz e Raquel Grisotto

  • Voltar ao início

    Compartilhe essa matéria:

  • Todas as imagens da galeria:

As feras das redes

Entre os jogadores da atualidade, Neymar é o que está mais próximo de entrar para a relação principal

OS MELHORES APÓS A ERA PELÉ (até 12/4/2012)

João Paulo: 104 gols

Serginho Chulapa: 104 gols

Juary: 101 gols

Neymar: 96 gols

Robinho: 94 gols

Kléber Pereira: 87 gols

Guga: 74 gols

Giovanni: 73 gols

Viola: 67 gols

Elano: 63 gols

OS MAIORES ARTILHEIROS

Pelé: 1.091 gols

Pepe: 405 gols

Coutinho: 370 gols

Toninho Guerreiro: 283 gols

Feitiço: 216 gols

Dorval: 198 gols

Edu: 183 gols

Araken Patusca: 177 gols

Pagão: 159 gols

Tite: 151 gols

Camarão: 150 gols

Antoninho: 145 gols

Odair: 134 gols

Raul Cabral: 120 gols

Vasconcelos: 111 gols

+ 100 anos de história do Santos

+ Além de faturar no campo, Neymar ganha 1 milhão por mês só com publicidade

+ Próximo a centros de treinamento, Perdizes é reduto de jogadores

Você sabia que...

...times de vários países — África do Sul, Angola, Burkina Faso, Costa Rica, Guiana, Irlanda do Norte e México, entre outros — foram batizados de Santos em homenagem ao clube.

O hino “certo”

Composta em 1957, a música de Carlos Henrique Paganetto Roma foi reconhecida como hino oficial do clube em 1996. Mas é a canção "O Leão do Mar" que a torcida sabe de cor

O LEÃO DO MAR

■ Santos! Santos! Gol!

Agora quem dá bola é o Santos

O Santos é o novo campeão

Glorioso alvinegro praiano

Campeão absoluto desse ano. Santos!

Santos, sempre Santos

Dentro ou fora do alçapão

Jogue o que jogar

És o leão do mar

Salve o nosso campeão

O OFICIAL

■ Sou alvinegro da Vila Belmiro

O Santos vive no meu coração

É o motivo de todo o meu riso

De minhas lágrimas e emoção

Sua bandeira no mastro é a história

De um passado e um presente só de glórias

Nascer, viver e no Santos morrer

É um orgulho que nem todos podem ter

No Santos pratica-se o esporte

Com dignidade e com fervor

Seja qual for a sua sorte

De vencido ou vencedor

Com técnica e disciplina

Dando o sangue com amor

Pela bandeira que ensina

Lutar com fé e com ardor

A vila mais famosa do mundo

A Vila Belmiro abriu pela primeira vez seus portões em 22 de outubro de 1916, numa vitória por 2 a 1 do Santos contra o Ypiranga, da capital. O jogo fazia parte do Campeonato Paulista daquele ano. Antes disso, o alvinegro praiano utilizava dois campos na Baixada. Até o início deste mês, o estádio contabilizava um total de 2.074 partidas.

Ele recebeu o nome oficial de Urbano Caldeira em 1933, em homenagem a um dos grandes benfeitores do clube. Décadas depois, ganhou o apelido de “a vila mais famosa do mundo” devido às façanhas de Pelé e da brilhante geração de craques que formou com ele um dos maiores esquadrões da história. Nesse período, foi registrado o recorde de público: 32.989 pessoas no confronto contra o Corinthians, em 20 de setembro de 1964, que terminou num empate sem gols. Dificilmente a marca será batida.

Atualmente, por questões de segurança, a arena está autorizada a comportar até 16.100 espectadores. Ao longo do tempo, ela recebeu uma série de melhorias, como camarotes, novo sistema de iluminação, um gramado impecável e um museu. Mas manteve intacta a aura de um dos grandes palcos do nosso futebol.

Santos 2265 - Estádio
(Foto: Jonatan Sarmento)

Raio X

ENDEREÇO: Rua Princesa Isabel, s/nº, Vila Belmiro

RECORDE DE PÚBLICO: 32.989 pessoas no jogo contra o Corinthians, em 20 de setembro de 1964

ÁREA TOTAL DO ESTÁDIO: 16.650 metros quadrados

ÁREA CONSTRUÍDA: 16.470 metros quadrados

CAPACIDADE ATUAL: 16.100 pessoas

NÚMERO DE CAMAROTES: 98

DIMENSÕES DO CAMPO: 106,5 x 70,5 metros

Traje de gala

Os fundadores queriam que a camisa do time tivesse listras verticais brancas e azuis e frisos dourados. Mas essa ideia nunca chegou a ser posta em prática — era difícil encontrar tecido azul no mercado.

A primeira camisa com a qual os jogadores entraram em campo era branca, com apenas uma braçadeira azul na manga. A partir de 31 de março de 1913, foi abolido do uniforme o azul e adotaram-se listras verticais pretas e brancas. Com o tempo, a versão totalmente branca tornou-se a opção número 1 do clube nos gramados.

+ Veja os diferentes modelos de camisas do Santos

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO