Turismo

Cruzeiros de preços e estilos variados tornam-se populares no Brasil

De fãs do padre Fábio de Melo a torcedores do Corinthians, roteiros temáticos prometem agradar a quase todo tipo de navegante neste verão

Por: Giuliana Bergamo - Atualizado em

Cruzeiro - Navio Costa Clássica
O navio Costa Clássica e as atrações em alto-mar: Marcelinho Carioca, padre Fábio de Melo e Roberto Carlos (Foto: Veja São Paulo)

Até o fim da década de 90, boa parte dos brasileiros que desejassem passar as férias em um cruzeiro precisava pegar um avião até outro país e, de lá, embarcar em um navio. Isso porque não era permitida a cabotagem, ou navegação entre portos de uma mesma nação. Em 1997, porém, a prática foi liberada. Desde então, pipocaram pelo nosso litoral embarcações que fazem desde pequenas rotas pelas praias do Sudeste até circuitos mais longos, que levam ao Norte, Nordeste ou aos países no sul do continente. E a atividade não para de crescer. Estima-se que, nesta temporada, 900.000 pessoas naveguem pelo litoral brasileiro, um número 66% maior que o do ano passado. Para transportar tanta gente, atracarão por aqui dezoito navios, dois a mais que no último verão. Uma das táticas das operadoras para preencher todas as cabines e atrair passageiros de primeira viagem são os roteiros temáticos. ' A ideia é chamar, pela programação, gente que talvez nunca navegaria ', diz Ricardo Amaral, presidente da Associação Brasileira de Representantes de Empresas Marítimas (Abremar).

E tem de quase tudo. De viagens para fanáticos pelo Corinthians a excursões para quem gosta de degustar vinhos ou praticar ioga do raiar ao por do sol. Um dos cruzeiros mais famosos é o que é dedicado aos fãs de Roberto Carlos. Batizado de Emoções em Alto-Mar, já está em sua sexta edição. Mas engana-se quem pensa que, ao comprar o pacote, terá a garantia de tropeçar com o rei pelos corredores da embarcação, na pista de dança, ou esticado sobre uma das espreguiçadeiras em volta da piscina. A viagem dá direito a apenas um show do cantor, mas sua majestade pouco se mistura aos súditos. Entre as novidades está o Bossa Nova, uma imersão no mundo do movimento musical que completou cinco décadas no ano passado. Mas a diversidade não fica só por conta dos temas. Há várias faixas de preço e pacotes que duram de três a nove noites. Navegar embalado pela trilha sonora do programa Energia na Véia, da rádio 97 FM, custa 990 reais, que podem ser pagos em dez parcelas de 99 reais. Já o cruzeiro do rei custa a partir de 2.320 reais. Para muitos, no entanto, ver Roberto vestido de marinheiro em alto-mar não tem preço.

Fonte: VEJA SÃO PAULO