Mistérios da Cidade

Crise nos canteiros de São Paulo

Mais de 1 milhão de mudas dos três viveiros municipais da capital estão à mercê com fim de contrato dos jardineiros

Por: Ana Carolina Soares

Parque do Ibirapuera
Manequinho Lopes, no Parque do Ibirapuera (Foto: Ana Carolina Soares)

Mais de 1 milhão de mudas dos três viveiros municipais da capital estão à mercê de São Pedro. Em janeiro, a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente encerrou o contrato dos jardineiros que atuavam no Manequinho Lopes, no Parque do Ibirapuera; no Arthur Etzel, no Parque do Carmo, na Zona Leste; e no Harry Blossfeld, no Parque Cemucam, na Zona Sul. Há uma licitação em andamento, e a expectativa é que a nova turma comece a trabalhar em maio. Até lá, 26 funcionários e doze estagiários de outras áreas estão cuidando dos canteiros, segundo a secretaria.

+ Casarões e prédios tombados são revitalizados no centro

+ Serviços de assinatura entregam até cosméticos veganos em casa

Na prática, não é bem assim. Quem vai ao Manequinho Lopes, por exemplo, depara com espécimes amarelados e ouve da própria equipe que não é possível dar conta da jornada extra. Assim, as chuvas de verão têm sido as principais responsáveis pela rega. “As plantas estão malcuidadas e com ervas daninhas”, diz o botânico Ricardo Cardim. “Se houver uma semana de seca, a vegetação morrerá.”

+ Comerciante tem 7 000 exemplares da PLAYBOY

Fonte: VEJA SÃO PAULO