Segurança

Criminalidade no Morumbi: duas horas de drama

Sequestrada no carro, estudante foi obrigada a rodar por duas horas na Marginal

Por: Arthur Guimarães [Colaborou Mariana Barros]

Morumbi assaltos 2233
Aline Brito: 'os bandidos chegaram a me dar dicas para não ser mais assaltada' (Foto: Fernando Moraes)

Apesar de ser uma das minhas melhores amigas na faculdade, nunca mais dei carona para a Amanda após o que ocorreu no dia 12 de maio. Passei às 6h30 na casa dela, perto da Avenida Francisco Morato. Um homem de uns 50 anos se aproximou e me rendeu. Mandou que eu fosse para o banco do passageiro. Outro homem veio e entrou atrás. Eles tinham acabado de realizar um assalto. Fiquei duas horas rodando na Marginal.

+ Moradores do Morumbi se mobilizam contra criminalidade no bairro

+ Morumbi: fuzil na garagem

+ Morumbi: aplicativo para vigiar a casa

+ Morumbi: escolta para o lixo

+ Morumbi: trancada no closet

+ Morumbi: portas fechadas

Cruzei com inúmeros policiais. Os bandidos pegaram minha senha do banco e sacaram 200 reais. Roubaram minha aliança e a cadeirinha do meu filho. Em certo momento, eles me deram dicas, como não ficar parada em carro estacionado, para que aquilo não acontecesse comigo novamente. No fim, depois que contei que sou evangélica, eles pediram perdão. Mas não devolveram nada. Aline Brito, 23 anos, estudante de direito e moradora do Portal do Morumbi

Fonte: VEJA SÃO PAULO