Família

Conheça os perfis mais comuns das babás

Saiba o que levar em conta na hora de recrutar uma pessoa que vai cuidar do seu filho

Por: Neide Oliveira - Atualizado em

Conheça os perfis mais comuns das babás
Estilo riponga: higiene pessoal e organização não são pontos fortes (Foto: Veja São Paulo)

Riponga

Os cabelos pedindo uma tesoura e a camiseta de ontem a denunciam. Hábitos de higiene pessoal e organização não são seu forte. Raramente lava as mãos e se confunde com os conceitos de lavar e esterilizar. Ela deixa os brinquedos, sapatos da criança e chupeta espalhados pela casa e não lava a mamadeira logo após o uso. O antídoto contra o desleixo da moça é um treinamento intensivo. Se os pais não tiverem disponibilidade ou traquejo para tanto, a solução é encaminhá-la para um curso ministrado por agências de contratação de babás.

Íntima

É aquela que se sente um ente querido e ignora a relação profissional. Depois de um fim de semana na praia com os patrões, volta chamando a dona Fátima e o senhor Fernando de Fá e Fê. Ela recebe as visitas com beijinhos e se mete nas conversas do casal. Para controlá-la, são necessárias uma conversa dura que aponte os problemas e a imposição de atitudes profissionais dentro de casa. Exija o tratamento de “senhor” e “senhora”, adote o uniforme sempre e cobre um relatório das atividades das crianças ao fim do dia.

Dominadora 

Conheça os perfis mais comuns das babás - 02
Estilo dominadora: às vezes, acha que manda mais que os pais (Foto: Veja São Paulo)

Experiente na profissão, ela assume a postura professoral em relação aos pais e diz saber melhor do que eles o que é bom para os filhos. Chega a disputar o carinho e a atenção dos pequenos, tornando-se um obstáculo para os momentos de privacidade. Seu alvo fácil são as mães de primeira viagem, com quem costuma gritar “não é assim” ao vê-las fazendo algo sozinhas. O lado bom de tudo isso é que, em geral, ela tem muito a ensinar. Os pais só precisam se impor e impedir que a dominadora exerça o papel que é deles.

Mexeriqueira

Ela adora o parquinho, pois é ali que reporta toda a intimidade da família aos outros. Compara seu salário com o das colegas, refere-se aos patrões com apelidinhos jocosos e conta, tim-tim por tim-tim, as brigas do casal. Detectar esse tipo já na entrevista é fácil. Basta perguntar algo sobre a vida pessoal dos antigos chefes, e ela logo solta a tramela.

Mary Poppins

Conheça os perfis mais comuns das babás - 03
Perfil Mary Poppins: amada pelos filhos (Foto: Veja São Paulo)

Sim, ela existe. Há casos de babás que, além de ser de inteira confiança da família, aproximam pais e filhos, têm jogo de cintura para domar os mais sapecas e ainda dão conta do recado no caso da ausência constante da mãe.

As crianças protestam quando a babá está de folga, e é ela a primeira a receber um abraço se vai junto buscá-las na escola. De tão boa, acaba despertando o ciúme dos pais. Quem se sente assim deve aproveitar os momentos em que a babá não está por perto para estreitar os laços com os filhos.

Tarefas rotineiras como mamadas, banhos e lições de casa são grandes oportunidades. Também vale trocar a folguista por uma faxineira em fins de semana. Assim, a nova funcionária cuida da organização da casa enquanto os pais são exclusividade dos pequenos.

Carrancuda

De tão competente, costuma ser irrepreensível, o que faz com que os patrões tolerem sua cara fechada. Leva a relação profissional que há entre ela e a família ao extremo e não dá abertura para brincadeiras ou situações de intimidade. Nada contra a criança.

Ela está ali mesmo é para trabalhar. Pouco há que fazer para mudar esse perfil. Se o temperamento fechado for muito incômodo, fale abertamente que gostaria de ter uma pessoa mais alegre e bem-humorada por perto. Existe o risco, porém, de que, na tentativa de não perder o emprego, ela adote uma postura mais animada que, ao mesmo tempo, parecerá falsa.

Antes de contratar...

- Fique atenta às referências

É muito comum que as candidatas forneçam telefones falsos como se fossem de antigas patroas. Uma boa ideia é marcar conversas na casa dessas pessoas.

- Peça carteira de trabalho, RG, CPF, comprovante de residência e telefone

No site da Secretaria de Segurança Pública (www. ssp.sp.gov.br/servicos/atestado), podem-se conseguir atestados de antecedentes criminais para RGs de São Paulo. Outra opção é ir a postos do Poupatempo.

- Não se contente com a simples indicação de uma amiga

Pergunte detalhes sobre personalidade, hábitos de higiene e experiência profissional.

- Entreviste grupos pequenos

Agende cerca de três pessoas. Se nenhuma for a escolhida, parta para outras três, até encontrar a babá ideal.

- Oriente desde o princípio

Já na entrevista, mostre quais são as regras da casa e exponha o que você espera dela.

- Considere contratar uma agência

Empresas sérias checam referências e antecedentes criminais, organizam documentos e até treinam babás antes de colocá-las no mercado.

- Forme sua própria babá

Empregadas de confiança podem passar a cuidar dos seus filhos. Há cursos que ajudam na transição.

Fontes: Ângela Clara Corrêa, psicóloga da Unire Desenvolvimento Humano; Kanguruh Babás; Roberta Palermo, terapeuta familiar

Fonte: VEJA SÃO PAULO