Exposições

Mostra reúne craques da fotografia na Pinacoteca

Oitenta imagens atravessam o século XX com tudo o que de relevante foi feito por meio de câmeras no país

Por: Jonas Lopes - Atualizado em

Luz e Teimosia, registrada por Fernando Lemos em 1949
'Luz e Teimosia', registrada por Fernando Lemos em 1949: influência do surrealismo (Foto: Fernando Lemos)

Um dos pesquisadores de fotografia mais importantes do país, o crítico e curador Rubens Fernandes Junior criou, em 1980, um núcleo dedicado exclusivamente ao gênero no acervo da Pinacoteca. Três décadas depois, parte de sua coleção pessoal ocupa o andar térreo do museu. As oitenta imagens reunidas pelo curador Diógenes Moura em Percursos e Afetos — Fotografias, 1928/2011 atravessam o século XX com tudo o que de relevante foi feito por meio de câmeras no país durante o período. Estilos bem variados são ressaltados na mostra. Impossível não destacar a brilhante geração modernista ativa a partir dos anos 40, cujos experimentos vanguardistas permitiram aos registros se aproximar até da abstração. Geraldo de Barros, Thomaz Farkas e German Lorca são nomes fundamentais nesse quesito.

+ “Água”: João Paulo Lorenzon fala sobre seu novo monólogo

+ Circuito de Teatro em Português apresenta 13 peças

+ Confiras as melhores exposições em cartaz na cidade

O português radicado no Brasil Fernando Lemos prefere apostar no surrealismo, elemento presente também em "Viagem pelo Fantástico", a melhor série da carreira de Boris Kossoy, próxima da ficção. Um enfoque mais documental, por sua vez, aparece tanto no urbanismo atento à industrialização de São Paulo, foco principal dos trabalhos de Hildegard Rosenthal e de Cristiano Mascaro, quanto nos tradicionais costumes baianos clicados nas obras de Pierre Verger e Marcel Gautherot. A coletiva ainda aborda fotógrafos importantes como Mario Cravo Neto, Gaspar Gasparian e José Medeiros. E há, inclusive, contemporâneos talentosos, a exemplo de Luiz Braga, Bob Wolfenson e Arnaldo Pappalardo.

AVALIAÇÃO✪✪✪

 

Fonte: VEJA SÃO PAULO