Cidade

Com bomba de gás e bala de borracha, polícia faz ação surpresa na cracolândia

Secretaria de Segurança Pública diz não saber de detalhes da intervenção; em nota, prefeitura repudiou intervenção

Por: Redação VEJASÃOPAULO.com - Atualizado em

Uma semana depois do início da Operação Braços Abertos - programa da prefeitura de São Paulo cujo intuito é ressocializar, por meio do trabalho e da moradia, usuários de drogas da  cracolândia -, uma ação surpresa da polícia acabou em tumulto na região. 

Prefeitura aposta em ação integrada para acabar com "favela do crack"

Policiais do Departamento Estadual de Prevenção e Repressão ao Narcotráfico (Denarc), subordinado à Polícia Civil, foram à cracolândia cumprir mandados de prisão contra traficantes que atuariam no local. Durante a ação, atiraram balas de borracha e jogaram bombas de gás lacrimogêneo na Alameda Barão de Piracicaba.

+ Policiais receberão bônus se número de mortes violentas cair 7% 

A Secretaria de Segurança Pública, que primeiro afirmou não ter conhecimento de que o Denarc realizaria uma operação na Cracolândia, disse em nota oficial que "foi legítima a ação realizada". Contestou, porém,o uso de bala de borracha, alegando que o departamento não possui esse tipo de munição.

Prefeitura repudia ação

Em nota, a prefeitura disse ter sido "surpreendida" pela ação do Denarc e afirma "repudiar" a ação. "A prefeitura repudia esse tipo de intervenção, que fez uso de balas de borracha e bombas de efeito moral contra uma multidão formada por trabalhadores, agentes públicos de saúde e assistência e pessoas em situação de rua, miséria, exclusão social e grave dependência química", diz o texto.

Segundo a administração municipal, a operação Braços Abertos foi "pactuada com o governo estadual" e "preconiza a não-violência e na qual a prisão de traficantes deve ser feita sem uso desproporcional de força". A nota afirma ainda que a ação pode comprometer a continuidade do programa.

Fonte: VEJA SÃO PAULO