Polícia

Autor da cotovelada está arrependido e em choque, diz advogado

Preso há uma semana,  Anderson de Oliveira afirma que xingamentos contra sua família teriam motivado a agressão

Por: VEJA SÃO PAULO

O comerciante Anderson Lúcio de Oliveira, de 36 anos, está em estado de choque e arrependido, afirma o advogado Carlos Alberto Alves. Ele foi preso na última terça-feira (19), após agredir a auxiliar de produção Fernanda Cézar Santiago com uma cotovelada. Depois de seis dias na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), ela foi transferida para o quarto, mas seu estado de saúde continua delicado. 

+ Mulher agredida com cotovelada tem alta da UTI

De acordo com o advogado, Oliveira, mais conhecido como "Tingo", afirma ter se exaltado porque Fernanda teria xingado familiares dele. "Ele perdeu o pai recentemente de câncer, e ela ficou ofendendo a família, chamando a irmã dele de biscate", conta. "Ele se arrepende, está em estado de choque e tem notícias do estado de saúde dela por mim."

+ Datena diz que ninguém fala da família de forma “mentirosa e canalha”

O advogado de Fernanda, Ademar Gomes, por sua vez, disse que pretende entrar com pedido de prisão preventiva do comerciante. "Não importa a razão, nada justifica a agressão. Vou pedir a prisão preventiva porque ele demostra ser uma pessoa perigosa, sem controle emocional e que em liberdade coloca a vida dela em risco." Fernanda segue no setor neurológico do Hospital Regional de Sorocaba e, segundo o advogado, não consegue dormir por causa de dores de cabeça.

+ Tentativa de assalto deixa um morto na Bela Vista

Até sexta-feira (29), três testemunhas serão chamadas na delegacia de São Roque. Duas delas já prestaram depoimento, mas a delegada Priscila Oliveira deseja ouvi-las novamente. De acordo com ela, as testemunhas disseram não terem visto a agressão, mas imagens que registraram outra situação. Caso isso se comprove, elas podem ser indiciadas por falso testemunho.

O caso

A auxiliar de produção Fernanda Cézar Santiago levou uma cotovelada no rosto e caiu no chão no sábado (16) quando estava com um grupo de amigos em São Roque, a 60 quilômetros da capital. Em uma gravação, é possível ver que Fernanda gesticulava contra o agressor. Depois do golpe, ela caiu, bateu a cabeça e ficou desacordada. A auxiliar foi socorrida por pessoas que estavam próximas e acionaram o Corpo de Bombeiros. O agressor ficou o tempo todo no local e aparece bebendo cerveja.

+ Confira as últimas notícias da cidade

Fonte: VEJA SÃO PAULO