Ídolos

Tevez e Fiel tiveram relação intensa, porém curta

Trazido pelos milhões da parceria com o grupo MSI, Tevez jogou um ano e sete meses pelo Corinthians

Por: Celso Unzelte - Atualizado em

Tevez - Corinthians_2163a
(Foto: Tom Dib/Futura Press)

“Hoy un juramento, / mañana una traición, amores de estudiante flores de un día son”, diz a letra do tango Amores de Estudiante, composto em 1933 por Carlos Gardel e Alfredo Le Pera. Assim foi, também, a relação entre o argentino Carlitos Tevez e a Fiel. Tão intensa quanto curta, como o amor de estudante cantado na música. Trazido pelos milhões da polêmica parceria com o grupo MSI, Tevez jogou um ano e sete meses pelo Corinthians.

A identificação da Fiel foi imediata com aquele argentino que saiu do Forte Apache, espécie de favela portenha, para brilhar primeiro com a camisa do Boca Juniors e depois com a do Timão. Para Tevez não existe bola perdida. Mas ele também sabe jogar, e muito, o que o aproxima dos corintianos raçudos e bons de bola de outros tempos. Retribuiu o carinho dos torcedores, que nas arquibancadas chegaram a imitar seus exóticos cortes de cabelo, colaborando diretamente para a conquista do título brasileiro de 2005. Só foi embora depois que a parceria começou a fazer água e o então técnico, Emerson Leão, tirou-lhe a faixa de capitão, alegando que “ninguém entendia o que ele falava”.

Nome: Carlos Alberto Tevez

Nascimento: Buenos Aires (Argentina), 5/2/1984

Posição: atacante

Período: 2005 e 2006

Jogos: 78 (43 vitórias, 14 empates, 21 derrotas)

Gols: 46

Título pelo Corinthians: Brasileiro (2005)

Fonte: VEJA SÃO PAULO