Contra o aquecimento global

O bom planejamento de espaços livres traz segurança, conforto e preserva o meio ambiente

Por: - Atualizado em

Chicago_Botanic_Garden_-_Zig_Zag_Bridge (1)
Projeto paisagístico: cuidado com as áreas verdes urbanas (Foto: Divulgação/Eliana Azevedo
)

A Organização das Nações Unidas confirmou: o aquecimento global vai trazer consequências graves, abrangentes e irreversíveis. Algo que sempre foi dito isoladamente por pesquisadores e cientistas foi atestado como um cenário catastrófico, em que a população sentirá os efeitos na saúde, alimentação, habitação e segurança.  

A pergunta que fica: de que forma podemos ajudar a transformar as cidades em um lugar melhor de viver?  É preciso mudar o jeito como nos relacionamos com a natureza e com o planeta. A cidade é muito mais do que um somatório de edificações e áreas pavimentadas. As áreas verdes (parques, praças e jardins particulares) são parte intrínseca de cidades com melhores atributos para a qualidade de vida das pessoas.

E é preciso dar mais importância às áreas verdes, replanejá-las, o que  pode ser feito com a ajuda de paisagistas.

Com os paisagistas, cada espaço pode ser trabalhado com estilo próprio e de maneira melhor integrada, beneficiando as pessoas, a flora e a fauna, além do meio ambiente. Dessa maneira, além de transformar a casa, o local de trabalho e até mesmo o ambiente urbano, é transformada a vida e o planeta.

“O paisagista é o profissional que tem conhecimentos para planejar as paisagens de forma sustentável, ‘reverdejar’ as cidades, tornando-as resilientes”, pontua Eliana Azevedo, paisagista e artista plástica, vice-presidente da ANP – Associação Nacional de Paisagismo.

Fonte: VEJA SÃO PAULO