Lista

Confira os documentários em cartaz

Tropicália, Luto em Luta e Cabra Marcado Para Morrer estão entre as cinco opções

Por: Redação VEJINHA.COM - Atualizado em

Cabra Marcado para Morrer
Cena de "Cabra Marcado Para Morrer": em cartaz no Espaço Itaú Augusta (Foto: Divulgação)

O caótico trânsito de São Paulo, o movimento tropicalista e o trabalho de médicos que vão até o interior da Amazônia para tratar de pacientes.

Esses são alguns dos temas dos documentários em cartaz na cidade. Confira abaixo:

 

  • Riqueza de material de arquivo inédito, pesquisa apurada e depoimentos esclarecedores fazem a diferença neste documentário. Um dos movimentos culturais mais festejados da história brasileira, o tropicalismo durou pouco. Entre 1967 e 1968, Caetano Veloso e Gilberto Gil, dois dos maiores expoentes, lançaram canções de vanguarda que, diferentemente de outras músicas da época, criticavam o período militar de uma forma mais anárquica e pop. O auge se deu no disco Tropicália ou Panis et Circensis. Além de Gil e Caetano, a obra reuniu Gal Costa, Tom Zé, Os Mutantes, Nara Leão, a poesia de Torquato Neto e Capinam e os arranjos de Rogério Duprat. O movimento se estendeu ao cinema novo de Glauber Rocha e ao teatro de José Celso Martinez Corrêa. De uma forma envolvente e criativa, o documentarista Marcelo Machado (sócio nos anos 80 de Fernando Meirelles na produtora Olhar Eletrônico) relembra passo a passo do surgimento do tropicalismo: dos festivais da Record ao exílio de Caetano e Gil, em Londres, por meio de imagens tiradas do baú. Trata-se, portanto, de um amplo e rico painel musical e visual, tratado sem preguiça nem presunção. Estreou em 14/09/2012.
    Saiba mais
  • Em sua estreia no longa-metragem, o jovem diretor publicitário de 25 anos traz à tona um tema atual e bastante oportuno: as tragédias no trânsito paulistano que dominaram as manchetes nos últimos meses. Um dos casos abordados é o de Vitor Gurman, amigo desde criança do realizador e atropelado na Rua Natingui, em Pinheiros, em julho de 2011. Outro acontecimento chocante foi a morte da irmã e da mãe de Rafael Baltresca, em frente ao Shopping Villa-Lobos. Para costurar as tristes histórias, Serrano, também produtor, roteirista e editor do documentário, dividiu-o em três partes: bárbarie, o luto e a luta. Há entrevistas com os jornalistas Gilberto Dimenstein e Heródoto Barbeiro, além de depoimentos de advogados, familiares e amigos das vítimas. Entre os melhores momentos está a ação nas ruas do engenheiro de tráfego Horácio Figueira, que aponta várias irregularidades dos motoristas. Peça eficaz de educação e conscientização, o filme se propõe a mostrar os problemas com imagens e palavras duras. Impossível ficar indiferente. Estreou em 21/09/2012.
    Saiba mais
  • O documentário de Coutinho ("Edifício Master") volta ao cartaz em cópia restaurada pela Cinemateca. Em 1964, o realizador foi à Paraíba para fazer um registro do líder camponês João Pedro Teixeira, assassinado em 1962. Com o golpe militar de 64, o longa-metragem foi interrompido. Dezessete anos depois, Coutinho voltou até lá para dar continuidade ao filme e entrevistar, além da viúva, outros companheiros que participaram das filmagens originais. Reestreou em 14/09/2012.
    Saiba mais
  • O documentário esportivo focado em times de futebol chega ao extremo da limitação. Apesar de tratar de uma das mais importantes consagrações do tricolor paulista (o tricampeonato no Mundial de Clubes da Fifa de 2005), o filme se restringe aos dois embates que levaram o São Paulo ao título. Não existe assunto nem material suficientes para um longa-metragem — ao contrário de "Todo Poderoso — O Filme", que comemorava o centenário do Corinthians, e de "Soberano", sobre a vitória em seis campeonatos brasileiros do São Paulo. A empreitada da dupla de realizadores (a mesma do primeiro "Soberano") cai na redundância, seja de imagens, seja de depoimentos. Além de cenas excessivas das partidas contra o Al-Ittihad, da Arábia Saudita, e o temido Liverpool, jogadores e fãs chovem no molhado para expressar suas emoções. Imagens de amadores flagradas no estádio de Yokohama, no Japão, trazem certo diferencial, assim como a declaração de um único torcedor inglês dizendo que o triunfo são-paulino foi “arranjado”. Embora Raí e Lugano relembrem momentos importantes, o goleiro Rogério Ceni, figura fundamental da conquista, dá a declaração mais comovente. Grande goleiro, Ceni, este, sim, mereceria um registro à parte. Estreou em 24/08/2012.
    Saiba mais
  • Diretor do recente "Constantino", Cury foi até o norte da floresta amazônica para conhecer o trabalho dos Expedicionários da Saúde. O grupo de médicos voluntários sai de Campinas para realizar cirurgias na aldeia de Vila Nova. Ao longo de oito dias, o cineasta acompanhou o atendimento a cerca de 500 pacientes, em geral índios de etnias diferentes. Estreou em 21/09/2012.
    Saiba mais

Fonte: VEJA SÃO PAULO