Justiça

Condomínios: veja dicas para evitar os atritos mais comuns

Por: Daniel Salles - Atualizado em

Condomínios - Vagas_2162
(Foto: Ilustração Negreiros)

Procurações

Quem não tem tempo — nem vontade — para participar de reuniões condominiais pode transferir o fardo para outra pessoa por meio de uma procuração. Alguns prédios exigem que o documento seja registrado em cartório, com firma reconhecida. As procurações precisam ser conferidas pelos moradores a cada novo encontro. Inadimplentes não têm direito a voto.

Animais

Para evitar bate-bocas desnecessários, o regimento de um edifício deve determinar exatamente em que áreas cães e gatos podem circular e qual é o limite de bichos permitido em cada unidade. Uma regra clássica de etiqueta diz que moradores sem animais têm a preferência para usar os elevadores.

Barulho

A maioria dos estatutos de condomínio trata a questão do barulho de maneira genérica. Na falta de regras mais claras, use o bom senso. A política de boa vizinhança em prédios recomenda aos moradores tirar os sapatos ao entrar no apartamento e colar pedaços de feltro debaixo dos pés das cadeiras para diminuir ruídos.

Reformas da sacada

O fechamento de sacadas com vidro, como qualquer outra obra que altere a fachada de um edifício, deve ser autorizado pela maioria dos condôminos. Os moradores também precisam definir conjuntamente detalhes como a cor e a espessura do vidro que será utilizado.

Trabalhar em casa

É cada vez maior o número de paulistanos que monta escritórios em casa. A maioria dos condomínios, porém, proíbe os moradores de receber clientes, pois isso fragiliza a segurança.

Fonte: VEJA SÃO PAULO